Morre Luiz Alfredo Malucelli, o MALU

11

O jornalista e colunista da Gazeta do Povo Luiz Alfredo Malucelli, o Malu, morreu na madrugada desta terça-feira, em Curitiba, aos 80 anos.

Nascido em Morretes, em 20 de abril de 1934, Malu se mudou cedo para Curitiba onde começou a se destacar no futebol a partir dos 15 anos. Ele chegou a jogar pelo Atlético, Coritiba e Ferroviário (hoje Paraná Clube). De gênio explosivo, também deixou cedo o esporte. A partir dos 26 anos dedicou-se ao jornalismo e ao rádio.

Primeiramente escrevia e comentava sobre esportes. Foi diretor da então Rádio Guairacá e ali também começou a se destacar na gastronomia. Para arrecadar patrocínios, convidava empresários e publicitários para almoços e jantares comandados por ele em casas e restaurantes de amigos. O sucesso na rádio fez o então proprietário, Paulo Pimentel, convidá-lo a assumir o departamento comercial da TV Iguaçu, Canal 4.

Adriana Czelusniak/ Gazeta do Povo

Adriana Czelusniak/ Gazeta do Povo / Malu, junto com o então governador Orlando Pessuti

Malu, junto com o então governador Orlando Pessuti

Desde 1970, quando mudou-se para a TV Paranaense, Canal 12, começou a parceria com o jornalista Francisco da Cunha Pereira Filho. Passou também a escrever para a Gazeta do Povo e consolidou a carreira nas áreas de jornalismo, marketing e publicidade, sem nunca esquecer da gastronomia.

Mantinha até os dias atuais uma coluna semanal, publicada aos sábados, na Gazeta do Povo, onde contava deliciosas e bem-humoradas histórias e publicava receitas.

Em 2011 publicou o livro “Casos do Malu – histórias, receitas e muitas risadas”, em que resgata algumas das histórias e receitas, junto com o amigo e jornalista Gilberto Fontoura.

Leia a coluna de Malu publicada no sábado passado

Crédito: Gazeta do Povo

Gisele Teixeira – Semana dos “Bodegones Porteños”: a minha seleção!

De 8 a 14 de setembro, mais de 50 “bodegones” participam da SEMANA DE LOS BODEGONES PORTEÑOS, um evento que divulga as raízes da gastronomia local. Durante estas datas, os preços serão promocionais (almoço a $85  e jantar a $135.- cubiertos incluídos) – um pechincha para quem troca reais na Florida na cotação blue.

Mas o que é um bodegón?

Quem responde é o crítico gastronômico Pietro Sorba, autor do livro Bodegones de Buenos Aires (Editora Planeta), onde resenha 30 lugares que cabem nesta “categoria”:

“Es un lugar porteño que debe tener cierta edad, con algo de historia, informal y cómodo, donde se disfruta de comidas tradicionales (principalmente picadas, buenas pastas caseras y, por supuesto, milanesas y carnes) presentadas en un extenso menú. Se sirven porciones abundantes que se comparten sin que nadie te mire o te trate miserable. El sabor de las comidas y los precios de los platos son abordables. No se admiten platos conceptuales o innovadores…No debe sorprender si en algún salón comedor se ve pasar al gato de la casa

Minha seleção

Aproveitem a ocasião para conhecer algum lugar novo, fora da rota de sempre! Abaixo, cinco dicas de lugares que eu gosto e a lista completa de participantes.

Guijón

Bodegones Porteños_Gijon

Guijón está no livro Bodegones,  fica pertinho aqui de casa e é um lugar que vou sempre quando recebo a visita do  amigo Rivadávia Severo, que ama o bife de chorizo de lá. Pelo ponto de cozimento, tamanho e qualidade da carne, está entre os melhores da cidade.

As porções são mais que generosas, o sabor é genuinamente caseiro e o cardápio não pode ser mais portenho. É bom deixar claro que, como todo o bodegón, o ambiente é simples. E, confesso, a gente sai um pouco defumada…mas vale a pena.

Celta Bar

Bodegones Porteños_celta

Esse bar descobri por acaso no ano passado e adorei. Especialmente pela localização: Sarmiento e Rodriguez Peña. Além da boa comida (é do mesmo dono do La Poesia, Bar de Cao e El Federal), tem uma ótima programação musical, que vocês podem conferir na página Celta Concert. Os shows rolam numa sala no sub-solo, que é uma delícia!

Pan y Arte

Av Boedo 880

Um dos pontos forte deste restaurante são as picadas, perfeitas para serem degustadas numa mesinha ao ar livre no verão.

A cozinha da casa é tipicamente mendocina. Ou seja, uma delícia! E todos os pratos são feitos no forno – nada de frituras!!

Há um pequeno armazém, onde se pode comprar azeites, pães e outras delicadezas. Na parte de cima do restaurante funciona um teatro, de mesmo nome. Saiba mais sobre a casa na página de Facebook. 

Los Laureles

Bodegones Porteños_los laureles

Já falei várias vezes sobre este lugar aqui, porque além de restaurante é uma ótima milonga.

Fica num lugar precioso, um casarão antigo de Barracas que data de 1893. Excelente programação tangueira, boa comida e ambiente acolhedor.

Outros pontos positivos são a decoração charmosa, com o tradicional piso portenho preto e branco, lembrando um tabuleiro de xadrez, e a iluminação meio amarela, de farol antigo. Música ao vivo a partir de quarta-feira.  

Recentemente foi cenário de locação para o filme Glórias del Tango. Ah, nos sábados tem a milonga empastada, somente com discos de vinil!

La Poesia

Esse é outro clássico e meio que o meu bar da esquina, um lugar que frequento desde que cheguei a Buenos Aires, há seis anos. Adoro! Foi recentemente ampliado, ganhando um salão extra. Destaque para o enoooorme cardápio e para as picadas. Além, é claro, para a decoração e piano que, por sorte, vira e mexe tem alguém tocando!

Bodegones Porteños_lapoesia2

 

Lista completa de bodegones

 Outras informações: www.facebook.com/semanadelosbodegones

Retiro, San Nicolás, Puerto Madero, San Telmo, Montserrat y Constitución
Almacén y bar
Centro Asturiano
Celta bar
El Federal
El Imparcial
Facundo
Gijón
La Embajada
La Tasca de Fosforito
Lezama
Lo Rafael
La Poesía
Manolo
Norte
Refugio de Oleiro
Taberna Baska
Vía 71

Recoleta
Teodoro

Balvanera y San Cristóbal
Bar de Cao
El Español
Il Vero Arturito
La Gran Taberna
La Viña del Abasto
Miramar
Pinuccio & Figli

La Boca, Barracas, Parque Patricios, Nueva Pompeya
Don Carlos de la Boca
El Obrero
El Puentecito
La Flor de Barracas
Los Laureles
Pulpería del Cotorro

Almagro y Boedo
El Faro de Vigo
La Tacita
Mamma Silvia
Margot
Pan y Teatro
Spiagge de Napoli

Caballito
Pucará

Flores y Parque Chacabuco
Esquina Vernet

Villa Real, Monte Castro, Versalles, Floresta, Vélez Sarfield, Villa Luro
Cándido
Puerto Deseado

Villa General Mitre, Villa del Parque, Villa Devoto, Villa Santa Rita
Café de García
Chichilo

Nuñez, Belgrano, Colegiales
2901

Palermo
El bar del Gallego
El Trapiche
Ña Serapia
Oviedo
Social La Lechuza

Chacarita, Villa Crespo, Villa Ortúzar, Agronomía, Parque Chas y La Paternal
A los Amigos
Cervecería López
El Faro
Gambrinus
Il Vero Mangiare
La esperanza de los Ascurra
La mamma Rosa
Ocho esquinas

Crédito: Aquimequedo.com.br

Gisele Teixeira – Onde comprar o Buenos Aires Guía Práctica

O BUENOS AIRES GUÍA PRÁCTICA, lindo guia feito pela amiga, designer gráfica e “viajeira” Anna Mendes, começou a ser distribuído na capital argentina pela Waldehuter, uma das melhores da cidade.

Ou seja, vocês já podem encontrá-lo nas boas livrarias da Buenos Aires, entre elas as das cadeias Cuspide e Yenny (El Ateneo, por exemplo).  

Outra bela novidade: saiu uma resenha bacana do livro na edição desta semana da Revista Ñ, do Clarín. 

São mais de 200 dicas, divididas em 13 bairros, com sugestões de lugares para comer, beber, comprar, passear e bailar! Inclui, por exemplo, um mapa com o circuito off de teatro de Abasto, algo que não vi nunca em nenhum guia.

Tem ainda sugestões de escapadas (Tigre e Delta, colônia do Sacramento, Mataderos, La Plata e San Antonio de Areco).

O livro tem 40 páginas, é em espanhol e saiu pela Editorial La Luminosaempresa organizadora da FEIRA DE LIVROS DE FOTOS DE AUTOR.

Para completar, o Guia tem ótimo formato para a gente levar na bolsa  (18 x 12 cm) e uma seleção dos melhores lugares da cidade. Custa 90 pesos.

Crédito: Aquimequedo.com.br

 

Gisele Teixeira – Ano Cortázar: o escritor e sua relação com o tango

Silbar viejos tangos centrados en melancólicos destinos de ida o de venida es una de mis muchas maneras de seguir estando en Buenos Aires, sobre todo ahora que ya no puedo volver (…)

trotoir

Quando se fala em Julio Cortázar e música, a primeira palavra que nos vem à cabeça é jazz.

Mas poucos sabem que o escritor argentino deixou um disco de tango!

Chama-se Trottoirs de Buenos Aires e foi gravado nos anos 80, com Edgardo Cantón, e interpretação de Juan “Tata” Cedrón.

Os detalhes estão no blog CORTAZARIO.

 

Trottoirs de Buenos AiresO disco tem os seguintes tangos:

01 Medianoche, aquí
02 Guante azul
03 Tu piel bajo la luna
04 Tras su rastro
05 Veredas de Buenos Aires
06 El buscador
07 Java
08 La camarada
09 Paso y quiero
10 La cruz del sur

 

Descarga completa aqui! 

Escute outros tangos do disco

 

Texto de Cortázar sobre Carlos Gardel

A Gardel hay que escucharlo en la vitrola.
 
    Hasta hace unos días, el único recuerdo argentino que podía traerme mi ventana sobre la rue de Gentilly era el paso de algún gorrión idéntico a los nuestros, tan alegre, despreocupado y haragán como los que se bañan en nuestras fuentes o bullen en el polvo de las plazas.
    Ahora unos amigos me han dejado una vitrola y unos discos de Gardel. Enseguida se comprende que a Gardel hay que escucharlo en la vitrola, con toda la distorsión, y la pérdida imaginables; su voz sale de ella como la conoció el pueblo que no podía escucharlo en persona, como salía de zaguanes y de salas en el año veinticuatro o veinticinco. Gardel-Razzano, entonces: “La cordobesa”, “El sapo y la comadreja”, “De mi tierra”. Y también su voz sola, alta y llena de quiebros, con las guitarras metálicas crepitando en el fondo de las bocinas verde y rosa: “Mi noche triste”, “La copa del olvido”, “El taita del arrabal”.
    Para escucharlo hasta parece necesario el ritual previo, darle cuerda a la vitrola, ajustar la púa. El Gardel de los pickups eléctricos coincide con su gloria, con el cine, con una fama que le exigió renunciamientos y traiciones. Es más atrás, en los patios a la hora del mate, en las noches de verano, en las radios a galena o con las primeras lamparitas, que él está en su verdad, cantando los tangos que lo resumen y lo fijan en las memorias.
    Los jóvenes prefieren al Gardel de “El día que me quieras”, la hermosa voz sostenida por una orquesta que lo incita a engolarse y volverse lírico. Los que crecimos en la amistad de los primeros discos sabemos cuanto se perdió de “Flor de fango” a “Mi Buenos Aires querido”, de “Mi noche triste” a “Sus ojos se cerraron”. Un vuelco de nuestra historia moral se refleja en ese cambio como en tantos otros cambios.
    El Gardel de los años veinte contiene y expresa al porteño encerrado en su pequeño mundo satisfactorio: la pena, la traición, la miseria no son todavía las armas con que atacarán a partir de la otra década el porteño y el provinciano resentidos y frustrados. Una última y precaria pureza preserva aún del derretimiento de los boleros y el radioteatro.
    Gardel no causa, viviendo, la historia que ya se hizo palpable con su muerte. Crea cariño y admiración, como Legui o Justo Suárez; da y recibe amistad, sin ninguna de las turbias razones eróticas que sostienen el renombre de los cantores tropicales que nos visitan, o la mera delectación en el mal gusto y la caballería resentida que explican el triunfo de un Alberto Castillo.
    Cuando Gardel canta un tango, su estilo expresa el del pueblo que lo amó. La pena o la cólera ante el abandono de la mujer son pena y cólera concretas, apuntando a Juana o a Pepa, y no ese pretexto agresivo total que es fácil descubrir en la voz del cantante histérico de este tiempo, tan bien afinado con la histeria de sus oyentes. La diferencia de tono moral que va de cantar “Lejano Buenos Aires, que lindo que has de estar!” como lo cantaba Gardel, al ululante “¡Adiós pampa mía!” de Castillo, da la tónica de ese viraje a que aludo. No sólo las artes mayores reflejan el proceso de una sociedad.
    Escucho una vez más “Mano a mano”, que prefiero a cualquier otro tango y a todas las grabaciones de Gardel. La letra, implacable en su balance de la vida de una mujer que es una mujer de la vida, contiene en pocas estrofas “la suma de los actos” y el vaticinio infalible de la decadencia final. Inclinado sobre ese destino, que por un momento convivió, el cantor no expresa cólera ni despecho. Rechiflao en su tristeza, la evoca y ve que ha sido en su pobre vida paria sólo una buena mujer. Hasta el final, a pesar de las apariencias, defenderá la honradez esencial de su antigua amiga. Y le deseará lo mejor insistiendo en la calificación.
 
Que el bacán que te acamala
tenga pesos duraderos,
que te abrás en las paradas
con cafishos milongueros,
y que digan los muchachos:
“Es una buena mujer”.
 
    Tal vez prefiero este tango porque da justa medida de lo que representa Carlos Gardel. Si sus canciones tocaron todos los registros de la sentimentalidad popular, desde el encono irremisible hasta la alegría del canto por el canto, desde la celebración de glorias turfísticas hasta la glosa del suceso policial, el justo medio en que se inscribe para siempre su arte es el de este tango casi contemplativo, de una serenidad que se diría hemos perdido sin rescate.
    Si este equilibrio era precario, y exigía el desbordamiento de baja sensualidad y triste humor que rezuma hoy de los altoparlantes y los discos populares, no es menos cierto que cabe a Gardel haber marcado su momento más hermoso, para muchos de nosotros definitivo e irrecuperable. En su voz de compadre porteño se refleja, espejo sonoro, una Argentina que ya no es fácil evocar.
    Quiero irme de esta página con dos anécdotas que creo bellas y justas. La primera es a la intención -y ojalá al escarmiento- de los musicólogos almidonados. En un restaurante de la rue Montmartre, entre porción y porción de almejas a la marinera, caí en hablarle a Jane Bathori de mi cariño por Gardel. Supe entonces que el azar los había acercado una vez en un viaje aéreo. «¿Y qué le pareció Gardel?», pregunté. La voz de Bathori -esa voz por la que en su día pasaron las quintaesencias de Debussy, Fauré y Ravel- me contestó emocionada: «Il était charmant, tout à fait charmant. C’était un plaisir de causer avec lui». Y después, sinceramente: «Et quelle voix!»2
    La otra anécdota se la debo a Alberto Girri, y me parece resumen perfecto de la admiración de nuestro pueblo por su cantor. En un cine del barrio sur, donde exhiben “Cuesta abajo”, un porteño de pañuelo al cuello espera el momento de entrar. Un conocido lo interpela desde la calle: «¿Entrás al biógrafo? ¿Qué dan?» Y el otro, tranquilo: «Dan una del mudo…»

Julio Cortázar
 
Este texto fue publicado en el nº 223 de la revista Sur, de julio/ agosto de 1953, y en La vuelta al día en ochenta mundos, 1967.
 
Crédito: Aquimequedo.com.br

Gisele Teixeira – Cafés Notables: a elegância do The New Brighton

THE NEW BRIGHTON é  um bar “elegantemente britânico” no meio da muvuca do centro, a passos da calle Florida (Sarmiento, 645).

O lugar é uma viagem no tempo e inaugura esta seção de CAFÉS e BARES NOTABLES, que começo a fazer a partir deste mês.

Os Cafés Notables são lugares de relevância para a cidade – por sua história, arquitetura ou importância para o bairro – e formam parte do patrimônio histórico de Buenos Aires.

Conhecê-los e tomar um cortado em um deles é um ritual obrigatório para quem está de passagem pela capital argentina.

A lista é grande (mais de 70) e hoje começo as apresentações!

A história do The New Brighton

Antes de se transformar em café e restaurante, o The New Brighton era onde os cavalheiros ingleses e portenhos elegiam seus trajes. Funcionou como alfaiataria até 1976, depois foi sede do restaurante Clark’sm que fechou em 2002, e reabriu em 2007 com o nome atual.

É um ambiente super masculino, bastante frequentado por funcionários que trabalham no centro. Meninas, não se intimidem!

 

the_new_brighton  2jpg

the_new_brighton 5

 

Ao entrar,  o primeiro que chama a atenção é  balcão imenso, que recria o encanto dos pubs mais sofisticados. Há um piano de cauda, uma ala para refeições, uma cava e ainda um reservado para jantares mais íntimos.

O lugar foi recuperado por Fermín Gonzales, que se esmerou em manter o clima de Belle Époque, com os maravilhosos vitrôs e a madeira talhada. As paredes estão revestidas de cedro importado da Inglaterra.

 

Ao meio-dia o restaurante oferece menú executivo e, durante a tarde, cafés e drinques.

À noite o serviço é somente a la carte (uma ótima opção numa zona que quase não tem nada). A especialidade da casa é o Lomo Brighton: “lomo envuelto en hojaldre con panceta y champiñón, servido con manzanas bañadas en un gratinado de crema y gruyere”.

Fui apenas para um café, no meio da tarde, que veio acompanhado por muitos e bons chocolates. Recomendadíssimo!

Importante: os preços são mais elevados que o normal, mas o serviço é à altura. Toda uma experiência.

the_new_brighton 4

the_new_brighton 3.jpg

the_new_brighton 6

 

Endereço: Sarmiento, 645

Horário: Seg – Sex06h às 00h30 e sábado das 18h às 01h

 Crédito: Aquimequedo.com.br

Gisele Teixeira – 1001 discos para ouvir antes de morrer disponíveis online

discos_doors.jpg

Só clássicos

1001 DISCOS PARA OUVIR ANTES DE MORRER é uma livro que é uma verdadeira bíblia da música, uma coleção com os melhores álbuns dos últimos 60 anos, abrangendo desde as origens do rock ‘n’ roll até as inovações tecnológicas e eletrônicas que invadiram o cenário musical nos anos 2000.

A boa notícia é que agora dá para ouvir na internet os álbuns que estão citados no livro! Do jazz ao punk, do hip- hop ao blues, passando pelos mais diversos estilos.

A seleção foi feita em 2006 por 90 jornalistas e críticos e abrange a história da música de 1955 a 2005, de Frank Sinatra a Arcade Fire. Artistas brasileiros como João Gilberto, Tom Jobim, Caetano Veloso,  Astrud Gilberto, Bebel Gilberto, Mutantes, Chico Buarque, Elis Regina, Jorge Ben Jor e Sepultura também estão presentes.

Para ouvir, basta clicar no CD desejado e aguardar o player no canto superior direito do site. O projeto ainda não está disponível para plataformas móveis. Quem proporciona essa seleção bacana é a Radio3Net. 

Clique no link para acessar: 1001 álbuns para ouvir antes de morrer

É só ir clicando em Load More que vão aparecendo mais capas de discos!

Crédito: Aquimequedo.com.br

Gisele Teixeira – 50 cafés de Buenos Aires mapeados pelo Café Contado

Já falei aqui no blog desse site chamado CAFÉ CONTADO, que fala somente dos cafés de Buenos Aires. Ele é feito por Carlos Cantini, gestor cultural, escritor e roteirista – e um apaixonado pelo Café Margot, de Boedo.

“En Cafés estudié, leí, escribí, me divorcié y me volví a enamorar. El Café es un ambiente más de nuestra casa que es Buenos Aires. Ningún porteño se siente extraño en un Café. Están cargados de información que nos resulta familiar y abraza. Por eso los visito. Y lo cuento”.

A última do CAFÉ CONTADO foi mapear 50 cafés do Buenos Aires no Google – parece que é a tendência do momento. É só clicar na xícara!

http://cafecontado.com/2014/06/30/los-primeros-50-cafes-contados/

Crédito: Aquimequedo.com.br

A última crônica de João Ubaldo Ribeiro

O correto uso do papel higiênico

Esta foi a última coluna escrita por João Ubaldo Ribeiro, que seria publicada no dia 20 de julho

O título acima é meio enganoso, porque não posso considerar-me uma autoridade no uso de papel higiênico, nem o leitor encontrará aqui alguma dica imperdível sobre o assunto. Mas é que estive pensando nos tempos que vivemos e me ocorreu que, dentro em breve, por iniciativa do Executivo ou de algum legislador, podemos esperar que sejam baixadas normas para, em banheiros públicos ou domésticos, ter certeza de que estamos levando em conta não só o que é melhor para nós como para a coletividade e o ambiente. Por exemplo, imagino que a escolha da posição do rolo do papel higiênico pode ser regulamentada, depois que um estudo científico comprovar que, se a saída do papel for pelo lado de cima, haverá um desperdício geral de 3.28 por cento, com a consequência de que mais lixo será gerado e mais árvores serão derrubadas para fazer mais papel. E a maneira certa de passar o papel higiênico também precisa ter suas regras, notadamente no caso das damas, segundo aprendi outro dia, num programa de tevê.

Tudo simples, como em todas as medidas que agora vivem tomando, para nos proteger dos muitos perigos que nos rondam, inclusive nossos próprios hábitos e preferências pessoais. Nos banheiros públicos, como os de aeroportos e rodoviárias, instalarão câmeras de monitoramento, com aplicação de multas imediatas aos infratores. Nos banheiros domésticos, enquanto não passa no Congresso um projeto obrigando todo mundo a instalar uma câmera por banheiro, as recém-criadas Brigadas Sanitárias (milhares de novos empregos em todo o Brasil) farão uma fiscalização por escolha aleatória. Nos casos de reincidência em delitos como esfregada ilegal, colocação imprópria do rolo e usos não autorizados, tais como assoar o nariz ou enrolar um pedacinho para limpar o ouvido, os culpados serão encaminhados para um curso de educação sanitária. Nova reincidência, aí, paciência, só cadeia mesmo.

Agora me contam que, não sei se em algum estado ou no país todo, estão planejando proibir que os fabricantes de gulodices para crianças ofereçam brinquedinhos de brinde, porque isso estimula o consumo de várias substâncias pouco sadias e pode levar a obesidade, diabetes e muitos outros males. Justíssimo, mas vejo um defeito. Por que os brasileiros adultos ficam excluídos dessa proteção? O certo será, para quem, insensata e desorientadamente, quiser comprar e consumir alimentos industrializados, apresentar atestado médico do SUS, comprovando que não se trata de diabético ou hipertenso e não tem taxas de colesterol altas. O mesmo aconteceria com restaurantes, botecos e similares. Depois de algum debate, em que alguns radicais terão proposto o Cardápio Único Nacional, a lei estabelecerá que, em todos os menus, constem, em letras vermelhas e destacadas, as necessárias advertências quanto a possíveis efeitos deletérios dos ingredientes, bem como fotos coloridas de gente passando mal, depois de exagerar em comidas excessivamente calóricas ou bebidas indigestas. O que nós fazemos nesse terreno é um absurdo e, se o estado não nos tomar providências, não sei onde vamos parar.

Ainda é cedo para avaliar a chamada lei da palmada, mas tenho certeza de que, protegendo as nossas crianças, ela se tornará um exemplo para o mundo. Pelo que eu sei, se o pai der umas palmadas no filho, pode ser denunciado à polícia e até preso. Mas, antes disso, é intimado a fazer uma consulta ou tratamento psicológico. Se, ainda assim, persistir em seu comportamento delituoso, não só vai preso mesmo, como a criança é entregue aos cuidados de uma instituição que cuidará dela exemplarmente, livre de um pai cruel e de uma mãe cúmplice. Pai na cadeia e mãe proibida de vê-la, educada por profissionais especializados e dedicados, a criança crescerá para tornar-se um cidadão modelo. E a lei certamente se aperfeiçoará com a prática, tornando-se mais abrangente. Para citar uma circunstância em que o aperfeiçoamento é indispensável, lembremos que a tortura física, seja lá em que hedionda forma — chinelada, cascudo, beliscão, puxão de orelha, quiçá um piparote —, muitas vezes não é tão séria quanto a tortura psicológica. Que terríveis sensações não terá a criança, ao ver o pai de cara amarrada ou irritado? E os pais discutindo e até brigando? O egoísmo dos pais, prejudicando a criança dessa maneira desumana, tem que ser coibido, nada de aborrecimentos ou brigas em casa, a criança não tem nada a ver com os problemas dos adultos, polícia neles.

Sei que esta descrição do funcionamento da lei da palmada é exagerada, e o que inventei aí não deve ocorrer na prática. Mas é seu resultado lógico e faz parte do espírito desmiolado, arrogante, pretensioso, inconsequente, desrespeitoso, irresponsável e ignorante com que esse tipo de coisa vem prosperando entre nós, com gente estabelecendo regras para o que nos permitem ver nos balcões das farmácias, policiando o que dizemos em voz alta ou publicamos e podendo punir até uma risada que alguém considere hostil ou desrespeitosa para com alguma categoria social. Não parece estar longe o dia em que a maioria das piadas será clandestina e quem contar piadas vai virar uma espécie de conspirador, reunido com amigos pelos cantos e suspeitando de estranhos. Temos que ser protegidos até da leitura desavisada de livros. Cada livro será acompanhado de um texto especial, uma espécie de bula, que dirá do que devemos gostar e do que devemos discordar e como o livro deverá ser comentado na perspectiva adequada, para não mencionar as ocasiões em que precisará ser reescrito, a fim de garantir o indispensável acesso de pessoas de vocabulário neandertaloide. Por enquanto, não baixaram normas para os relacionamentos sexuais, mas é prudente verificar se o que vocês andam aprontando está correto e não resultará na cassação de seus direitos de cama, precatem-se.

João Ubaldo Ribeiro (1941-2014) era escritor e imortal da Academia Brasileira de Letras

Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/opiniao/o-correto-uso-do-papel-higienico-13297732#ixzz37utsh9Bk
© 1996 – 2014. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.

Morre no Rio o escritor e acadêmico João Ubaldo Ribeiro, aos 73 anos

Jornalista foi vítima de embolia pulmonar na madrugada desta sexta (18).

João Ubaldo era o 7º ocupante da cadeira número 34 da ABL.

Do G1 Rio

Morreu de madrugada desta sexta-feira (18), em casa, no Leblon, Zona Sul do Rio, o escritor e acadêmico João Ubaldo Ribeiro, aos 73 anos. Como mostrou o Bom Dia Rio, ele teve uma embolia pulmonar. João Ubaldo era casado e tinha quatro filhos. Inicialmente, o corpo dele seria velado a partir das 10h na Academia Brasileira de Letras (ABL), no Centro do Rio, mas a cerimônia sofreu atrasos por conta da chegada dos filhos que vieram de outros estados, e acabou sendo adiada para às 12h. Segundo a ABL, o velório acontecia no Salão dos Poetas Românticos e era aberto ao público, até as 19h. A academia decretou luto por três dias.

 

JOÃO UBALDO RIBEIRO
1941 – 2014

Várias coroas de flores chegavam à ABL durante toda a manhã, mas o corpo só chegou ao local por volta das 11h30.

De acordo com funcionários do Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul, o sepultamento dele estava previsto para ocorrer às 16h. Por conta das mudanças e da chegada de uma das filhas dele, que mora da Alemanha, o enterro poderá ser adiado para sábado (19).

O escritor era o 7º ocupante da cadeira número 34 da Academia Brasileira de Letras. Ele foi eleito em 7 de outubro de 1993, na sucessão de Carlos Castello Branco. O secretário geral da ABL, Domício Proença Filho, disse Ubaldo era um escritor voltado para o povo brasileiro.

“Ele não vinha sempre, mas quando vinha era uma festa, com aquela voz de barítono, aquela alegria. Ubaldo era um escritor voltado para o povo brasileiro, a realidade brasileira, com a justiça social. Tinha personagens que retratavam bem essa realidade. Tenho certeza que Zecamunista deve estar muito triste hoje”, disse Proença.

O presidente da ABL Geraldo Holanda Cavalcante contou que, nos quatro anos de presidência, encontrou com Ubaldo apenas uma vez, por conta de problemas de saúde do escritor.

“Ele deixa uma marca profunda na história do romance, com ‘Viva o povo brasileiro’ . Só estive com ele uma vez. Mas sei que ele era uma pessoa jovial, alegre, amigo e muito companheiro. Ele revolucionou o romance brasileiro com ‘Viva o povo brasileiro’ e ‘Sargento Getulio'”, disse o presidente.

Internado em maio
A secretária Valéria dos Santos, que trabalhou durante dez anos com o escritor, disse que em maio Ubaldo chegou a ser internado durante cinco dias por causa de problemas respiratórios. Segundo ela, o escritor reduziu o cigarro, mas não chegou a parar de fumar como foi orientado pelos médicos.

Valéria contou que há cerca de um ano e meio Ubaldo vinha escrevendo um novo romance, mas que não revelou seu conteúdo. Ele acordava por volta das 5h para se dedicar ao livro e por volta das 10h, parava para atender telefonemas e outras demandas.

“Ele acordou por volta das 3h [nesta madrugada] e chamou a mulher dizendo que estava se sentindo mal. Chamaram uma ambulância e os paramédicos tentaram reanimá-lo, mas ele já estava morto”, contou Valéria acrescentando que o cardiologista particular dele também foi chamado.

Trajetória
João Ubaldo Ribeiro ganhou em 2008 o Prêmio Camões, o mais importante da literatura em língua portuguesa. Ele é autor de livros como “Sargento Getúlio”, “O sorriso dos lagartos”, “A casa dos budas ditosos” e “Viva o povo brasileiro”. Também ganhou dois prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente para o melhor autor e melhor romance do ano, por ‘Sargento Getúlio’ e ‘Viva o povo brasileiro”.

Nascido em Itaparica (BA), Ribeiro viveu até os 11 anos com a família em Sergipe, onde o pai era professor e político. Passou um ano em Lisboa e um ano no Rio para, em seguida, se estabelecer em Itaparica, onde viveu aproximadamente sete anos.

João Ubaldo também se formou bacharel em Direito, em 1962, pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), mas nunca chegou a advogar. Entre 1990 e 1991, o escritor morou em Berlim, na Alemanha, a convite do Instituto Alemão de Intercâmbio (DAAD – Deutscher Akademischer Austauschdienst).

Ele era pós-graduado em Administração Pública pela UFBA e mestre em Administração Pública e Ciência Política pela Universidade do Sul da Califórnia (USC) .

O escritor foi professor da Escola de Administração e da Faculdade de Filosofia da Universidade Federal da Bahia e professor da Escola de Administração da Universidade Católica de Salvador. Como jornalista, trabalhou como repórter, redator, chefe de reportagem e colunista do Jornal da Bahia; foi também colunista, editorialista e editor-chefe da Tribuna da Bahia.

Ribeiro trabalhou como colunista do jornal Frankfurter Rundschau, na Alemanha, e foi colaborador de diversos jornais e revistas no país e no exterior, entre os quais, além dos citados, Diet Zeit (Alemanha), The Times Literary Supplement (Inglaterra), O Jornal (Portugal), Jornal de Letras (Portugal), Folha de S. Paulo, O Globo, O Estado de S. Paulo, A Tarde e muitos outros.

A formação literária de João Ubaldo Ribeiro iniciou ainda nos primeiros anos de estudante. Foi um dos jovens escritores brasileiros que participaram do International Writing Program da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos.Trabalhando na imprensa, pôde também escrever seus livros de ficção e construir uma carreira que o consagrou como romancista, cronista, jornalista e tradutor.

Obras
Os primeiros trabalhos literários de João Ubaldo Ribeiro foram publicados em diversas coletâneas, como “Reunião”, “Panorama do Conto Baiano”. Aos 21 anos de idade, escreveu o seu primeiro livro, “Setembro não tem sentido”, que ele desejava batizar como “A Semana da Pátria”, contra a opinião do editor. O segundo foi “Sargento Getúlio”, de 1971. Em 1974, publicou “Vencecavalo e o Outro Povo”, que por sua vontade se chamaria “A Guerra dos Paranaguás”.

Consagrado como um marco do romance brasileiro moderno, “Sargento Getúlio” filiou o seu autor, segundo a crítica, a uma vertente literária que sintetiza o melhor dos escritores Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. A história é temperada com a cultura e os costumes do Nordeste brasileiro e, em particular, dos sergipanos. Esse regionalismo extremamente rico e fiel dificultou a versão do romance para o inglês, obrigando o próprio autor a fazer esse trabalho. A seu respeito pronunciaram-se, nos Estados Unidos e na França, as colunas literárias de todos os grandes jornais e revistas.

Em 1999, foi um dos escritores escolhidos em todo o mundo para dar depoimento, ao jornal francês Libération, sobre o Terceiro Milênio. E Viva o Povo Brasileiro foi o tema do exame de Agrégation, concurso para detentores de diploma de graduação na universidade francesa. Este romance e “Sargento Getúlio” constaram da maior parte das listas dos cem melhores romances brasileiros do século.

Prêmios
– Prêmio Golfinho de Ouro, do Estado do Rio de Janeiro, conferido, em 1971, pelo romance Sargento Getúlio;
– Dois prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente para o Melhor Autor e Melhor Romance do Ano, pelo romances Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro;
– Prêmio Altamente Recomendável – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil,1983, para Vida e Paixão de Pandonar, o Cruel ;
– Prêmio Anna Seghers, em 1996 (Mogúncia, Alemanha);
– Prêmio Die Blaue Brillenschlange (Zurique, Suíça);
– Detém a cátedra de Poetik Dozentur na Universidade de Tubigem, Alemanha (1996).
– Prêmio Lifetime Achievement Award, em 2006;
– Prêmio Camões, em 2008.

Governo não anda por falta de gestão, diz Ciro Gomes

Um vídeo do ex-ministro Ciro Gomes (PROS) com entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, com críticas ao governo da presidente Dilma Rousseff (PT), está sendo compartilhado à profusão nas redes sociais. Na entrevista, Ciro Gomes, que é aliado de Dilma, diz que o governo federal não anda por falta de gestão.

Link
www.youtube.com/embed/_JFngZY-F14

Tarifa menor pesa para consumidor

12
Os consumidores brasileiros estão pagando um preço muito alto pela redução de 20% nas tarifas de energia elétrica feita pelo governo federal no ano passado. O desequilíbrio financeiro no setor provocado pelas medidas impostas para forçar a queda nas tarifas, somado à operação a plena carga das termelétricas em decorrência da forte estiagem, está batendo nas contas de luz. De acordo consultorias especializadas em energia, os aumentos médios nas contas de energia dos consumidores residenciais neste ano devem ficar entre 16% e 17%, o que praticamente anula a redução do ano passado. E em 2015 será pior: o reajuste ficará entre 21% e 25%. As informações são da Agência O Globo.

Analistas consideram que esses reajustes podem servir para pôr mais combustível na inflação e fazer com que ela feche 2014 acima do teto da meta do Banco Central, ou seja, superior a 6,5%. Segundo a MB Associados, as contas residenciais de luz devem acumular avanço de 17,4% neste ano, o que faria o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado pelo BC, fechar 2014 com alta de 6,7%. Conforme o economista-chefe da consultoria, Sergio Vale, a energia se tornou a grande vilã dos preços no ano. Ele diz esperar aumentos ainda mais significativos ao longo de 2015. Para o banco ABC Brasil, o IPCA deve terminar este ano em 6,4%, porém, os reajustes nas tarifas em 2015 deverão elevar o impacto da energia residencial no índice de preços.

O consumidor já sente no bolso o custo da energia mais cara. De acordo com a Agência Nacional de Energia Elétrica, das 34 concessionárias que já tiveram os seus reajustes autorizados entre janeiro e julho deste ano, 31 aumentaram seus preços. Desse total, 27 tiveram altas acima de dois dígitos, que variam de 11% a 36,54%. Isso significa que, até agora, cerca de 43,2 milhões de residências pagam mais caro pela conta de luz. Até dezembro, ainda haverá reajuste em outras 30 distribuidoras de energia.

Fábio Cuberos, gerente de Regulação da Safira, destacou que, apesar dos elevados aumentos concedidos, as tarifas ainda estão represadas. O executivo explicou que os custos adicionais com as usinas térmicas em 2013, que seriam repassados ao consumidor neste ano, foram diluídos em quatro anos a partir de 2015. Além disso, o impacto nas tarifas do empréstimo de R$ 11,2 bilhões, feito por meio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, só será repassado às tarifas em 2015 e 2016.

Curitiba é a residência da ‘maioria’ dos candidatos

Curitiba-photo180-51

Curitiba é a cidade do Paraná com maior representação nas candidaturas às eleições deste ano. Dos 379 candidatos a deputado federal, 180 estão domiciliados em Curitiba – 47% do total. Dentre os 665 candidatos a deputado estadual, 402 vivem na capital paranaense, totalizando 60%. E todos os candidatos ao governo do Estado moram em Curitiba. As informações são da Gazeta do Povo.

Os especialistas são unânimes em afirmar que o predomínio de representatividade das capitais é uma consequência natural do sistema eleitoral proporcional. “Os candidatos são atraídos para as capitais por três motivos principais: maior concentração do eleitorado, maior disponibilidade de recursos financeiros e presença maciça de todas as principais instituições ou organizações democráticas”, explica o cientista político Ricardo de Oliveira, professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Para ele, no interior paranaense especificamente, há um desestímulo, pois tanto a arrecadação de dinheiro para campanhas quanto o estabelecimento de contatos são prejudicados. Porém, esse fenômeno pode mascarar o fato de que muitos desses candidatos têm um extenso histórico político em outras regiões ou cidades do estado, como lembra o sociólogo e consultor legislativo do Senado Federal Caetano Ernesto de Araújo. Como exemplo ele cita o senador Alvaro Dias (PSDB), que começou sua carreira política na Câmara Municipal de Londrina em 1968.

C O N V I T E –

Foz do Iguaçu com Compras de Natal

Visita às Cataratas do Iguaçu

Compras no Paraguai e Argentina

05 a 09 de novembro de 2014 – 5 dias

SAÍDA  DE  SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO – VIA AÉREA

unnamed3 unnamed4 unnamed2

O mais belo de todos os roteiros que já fizemos para Foz do iguaçu, o mais contagiante e mais abrangente é o que lhe apresentamos hoje, nesse belíssimo pacote para “Foz do iguaçu, Paraguai e Argentina” a realizar-se em novembro próximo. Uma oportunidade de conhecer as espetaculares Cataratas do Rio Iguaçu, uma das sete maravilhas do mundo e Patrimônio da Humanidade, segundo a UNESCO, e ainda fazer as suas compras de Natal no Paraguai ou na Argentina. Esse será nosso próximo passeio, no qual juntos estaremos. Visitaremos também o show de Luzes da Barragem de Itaipu, à noite, no evento “Luzes de Itaipu”, um momento de muita beleza com a iluminação da barragem. E pra completar, teremos a nossa hospedagem no belíssimo Hotel Bella Itália, no centro da cidade e próximo do maior Shopping Center da região.

 

Nossa viagem será por via aérea, partindo de São Paulo e Rio de Janeiro.

Vagas limitadas devido a alta demanda de turistas nesse período para Foz do Iguaçu.

 

Participe conosco desse maravilhoso passeio, inscreva-se exclusivamente através do nosso novo site: Clique Aqui

 

O programa dessa viagem é o seguinte:

 

Dia 05.11.2014 – quarta-feira: São Paulo ou Rio de Janeiro – Foz do Iguaçu

 

Para quem partir do Rio de Janeiro:

 

10:10h – Partida do Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro, rumo a Foz do Iguaçu, no voo GOL 1460, com partida prevista para as 10:10h e chegada as 12:13h, em voo direto com duração estimada de 02:03h horas;

 

Para quem partir de São Paulo:

 

11:15h – Partida do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, rumo a Foz do Iguaçu, no voo GOL-1380, com partida prevista para as 11:15h e chegada em Foz do Iguaçu as 12:37h, voo este direto com duração estimada de 01:22h.

 

13:00h – Após recepção dos grupos Rio e São Paulo no Aeroporto de Foz do Iguaçu, seguiremos em ônibus privativo para acomodação no Hotel Bella Itália, localizado estrategicamente no centro de Foz do Iguaçu, próximo do maior Shopping Center da cidade. O hotel oferece o melhor cardápio italiano da região. Após o check-in, teremos resto da tarde livre.

 

19:30h – Teremos nosso delicioso jantar “Noite italiana” no Restaurante do próprio hotel (incluso), um tradicional rodízio de massas com um buffet incrível de saladas e frios, além da maior mesa de queijos do Brasil. Após o jantar resto da noite livre.

 

Dia 06.11.2014 – quinta-feira: Foz do Iguaçu – Paraguai – Foz do Iguaçu

 

07:00h – Após o café da manhã, que diga-se de passagem, é especial com mais de 100 itens, sairemos para o Paraguai, onde poderemos fazer nossas compras de natal, num comércio de mais de 5 mil lojas

 

15:00h – Horário previsto de retorno para nosso hotel.

 

19:30h – Teremos nosso jantar (buffet) no restaurante do próprio hotel (incluso).

 

Dia 07.11.2014 – sexta-feira: Foz do Iguaçu – Argentina – Itaipu – Foz do Iguaçu

 

08:00h – Após o café da manhã sairemos para nosso city-tour em Foz do Iguaçu para conhecer suas principais atrações, destacando o Templo Budista, a Mesquita Muçulmana e o Marco das 3 Fronteiras, onde Brasil, Argentina e Paraguai se encontram, bem na Foz do Rio Iguaçu.

 

13:00h – Seguiremos para o lado argentino para visita à cidade de Puerto Iguazu e à Feirinha, com muitas miudezas. Logo após, faremos rápida visita ao Duty Free, ainda na Argentina,onde poderemos efetuar compras de outros produtos.

 

15:30h – Após visitas retornaremos ao hotel.

 

16:30h – Teremos um delicioso Café Colonial (incluso) no próprio hotel, com o que há de melhor no campo.

 

19:00h – Após o Café Colonial seguiremos para apreciar as “Luzes da Barragem de Itaipu“, um espetáculo de luzes e músicas (ingresso incluso). A energia gerada por Itaipu também produz um outro espetáculo. Na própria usina, encante-se com a energia que sai das imensas turbinas na Iluminação da Barragem. Antes do acendimento das luzes, dois apresentadores e um vídeo mostrado em telões contam a história da hidrelétrica e a traduzem em números expressivos. De repente, em meio à escuridão, a barragem de concreto é iluminada por 747 refletores e 112 luminárias. Uma trilha sonora, criada especialmente para a apresentação, embala, em perfeita sincronia, o acendimento das luzes. O turista acompanha a apresentação do mirante central, de onde pode-se ver a distância o funcionamento da usina durante o dia. Para você ter uma ideia da beleza e da grandiosidade deste cenário, a energia consumida no espetáculo seria suficiente para iluminar uma cidade com 15 mil habitantes. A iluminação ganha ainda mais charme em noites de lua cheia. Terminada a apresentação, retornaremos ao hotel.

 

Dia 08.11.2014 – sábado: Parque das Aves e Cataratas do Iguaçu

 

08:00h – Após o café da manhã sairemos para visita ao “Parque das Aves” (ingresso incluso) um verdadeiro santuário de aves exóticas.

 

10:00h – Em seguida iremos para as Cataratas do Iguaçu. Localizadas no Parque Nacional do Iguaçu, elas são consideradas como o maior conjunto de quedas d´água do planeta, sendo mundialmente famosas. Foram reconhecidas pela UNESCO como patrimônio da humanidade e consideradas como uma das sete maravilhas do mundo. A emoção é instantânea, não há como permanecer indiferente ao se deparar com tanta beleza. Uma sucessão de cachoeiras com 2.700 metros de extensão onde as águas do Rio Iguaçu formam as mais lindas quedas d’ água do mundo. Um turbilhão de águas que se lançam pelas elevadas escarpas de basalto, criando um espetáculo de rara beleza. No próprio parque existem boas opções de almoço ou lanches.

 

15:00h – Horário previsto de retorno para o hotel.

 

18:45h – Sairemos para nosso jantar com show ao vivo (incluso) no Restaurante Rafain. Após o jantar retorno ao hotel.

 

Dia 09.11.2014 – domingo: Foz do Iguaçu – São Paulo e Rio de Janeiro

 

07:45h – Após o café da manhã faremos check-out no hotel e seguiremos para o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu para os nossos voos de retorno a São Paulo e Rio de Janeiro, conforme voos e horários previstos abaixo:

 

Para quem for ao Rio de Janeiro (Galeão):

 

10:10h – Partida no voo GOL 1549, com saída prevista para as 10:10h e chegada no Rio de Janeiro (Galeão) às 12:10h, voo este direto com 02:00h de duração;

 

Para quem for a São Paulo (Guarulhos):

 

12:43h – Partida no voo Gol 1383, com saída prevista para às 12:43h e chegada em São Paulo (Guarulhos) às 14:15h, voo este direto com 01:32h de duração;

 

Antes de prosseguir, dê uma espiada neste link:

www.airpano.ru/files/brasil/iguasu/iguasu_eng.html

 

Valores por Pessoa – Em R$

(já inclusas as taxas de embarque)

 

Em Apto Single = R$ 2.780,00 em 4 pagtos. de R$ 695,00

Em Apto Duplo = R$ 2.190,00 em 4 pagtos. de R$ 547,50

Em Apto Triplo = R$ 2.190,00 em 4 pagtos. de R$ 547,50

 

Os valores acima serão pagos através de cheques pré-datados, cujas instruções de encaminhamento daremos após efetivar a sua inscrição.

 

As pessoas que não quiserem ter a parte aérea incluída no pacote ou mesmo se não precisarem de avião para chegar em Foz do Iguaçu, terão um desconto de R$ 230,00 por pessoa nos valores acima. No caso de utilização de milhas, elas próprias deverão cuidar das reservas, diretamente no site da cia. aérea, pois envolve dados confidenciais do próprio passageiro. Clique Aqui para ver as instruções da viagem sem a parte aérea incluída no pacote.

 

Atenção: O não comparecimento para check-in no voo de ida, implicará na perda também do trecho de volta, ou seja, se você perder o voo de ida, perderá automaticamente o voo de volta. São normas da Cia. Aérea para bloqueios de passageiros em grupos.

 

Nos preços acima estão incluídos:

 

  • Passagens aéreas de ida e de volta voando GOL, saindo de São Paulo (Guarulhos) e do Rio de Janeiro (Galeão);
  • Transporte em ônibus de turismo, super confortável, com ar condicionado, DVD a partir de Foz do Iguaçu;

● Quatro noites de hospedagem em Foz do Iguaçu com café da manhã;

  • Todas as refeições citadas acima como “inclusas”;
  • Ingressos para os atrativos;

● Guia acompanhante durante toda a viagem;

● Guia local para o city-tour de Foz do Iguaçu;

● Seguro-viagem.

 

Não estão incluídos nos preços acima:

 

  • Bebidas, telefonemas, demais refeições não anunciadas;
  • Despesas pessoais nos hotéis.

 

Atenção:

 

Os assentos no ônibus serão numerados segundo a ordem de chegada das inscrições.

 

A cia. aérea autoriza uma mala grande com até 23kg e uma bagagem de mão com até 5kg, com dimensões máximas de 55 x 40 x 20cm. Existe uma aduana no Aeroporto de Foz do Iguaçu, antes de acessar a área para check-in para o retorno.

 

Os passageiros inscritos que perderem o embarque no voo de ida, perderão, também, a volta, qualquer que seja o motivo.

 

Esclarecemos que essa programação poderá sofrer alterações de roteiro, de programa, de horários, de hotéis e de restaurantes, sem prévio aviso, de forma a tornar o passeio o mais agradável e proveitoso possível.

 

Esta viagem terá saída confirmada após a inscrição/pagamento de 20 participantes.

 

Vamos juntos nesse maravilhoso passeio. Para participar conosco desta viagem, basta Clicar Aqui e preencher os dados solicitados para a sua inscrição.

 

 

IMPORTANTE: O conteúdo de nosso site e de nossas newsletters é protegido por direitos autorais. Fica proibido o seu uso, parcial ou total, dos textos e imagens, exceto mediante prévia autorização por escrito de nossa agência.

 

Aproveito para informar nossas próximas viagens e que você poderá participar. Basta acessar o link abaixo e ver a relação delas, escolha a sua preferida e solicite maiores informações:

http://www.viajandopelomundo.com/calendario_de_viagens.php

 

Você fica desde já convidado a participar desses maravilhosos passeios nacionais e internacionais.

 

Um grande abraço para você.

 

Edison Piazza – Piracicaba

Viajando pelo Mundo Viagens e Turismo

e-mail:contato@viajandopelomundo.com

www.viajandopelomundo.com

Registro na EMBRATUR: 26.040739.10.0001.6

CNPJ  13 379 469/0001-25

16.07.2014

 

Em Tempo:

 

Venha para nosso Facebook e tenha informações em primeira mão dos nossos lançamentos de novos roteiros, com muitas imagens de cada destino. Procure pelo e-mail contato@viajandopelomundo.com e envie o seu Convite (Adicionar aos Amigos). Teremos imenso prazer em contar com sua participação em nossa rede social.

 

Médicos cubanos ficam sem receber, ameaçam parar e culpam petista

Vinte e dois médicos cubanos do Programa Mais Médicos ameaçam abandonar suas atividades em Araçatuba, no interior de São Paulo, porque a prefeitura da cidade – administrada pelo PT – não pagou os auxílios de moradia e alimentação devidos a eles. Além de não pagá-los, segundo eles, a prefeitura também os constrange ao cobrar notas fiscais e comprovantes dos gastos com os auxílios. Os médicos também acusam a prefeitura de se negar a fazer os repasses individuais a eles – conforme determina a lei – quando o médico é casado com outro profissional do mesmo programa. Para piorar, a prefeitura anunciou que reduzirá em 32% o valor do auxílio-moradia aos profissionais cubanos. As informações são do Estadão.

Pela portaria interministerial 1.369, de 8 de julho de 2013, que regulamenta o Programa Mais Médicos, o pagamento dos auxílios é uma obrigação que cabe a cada município incluído no programa. Os municípios são obrigados a arcar com o fornecimento de moradia, alimentação, água e transporte dos profissionais, enquanto o salário é pago pelo governo federal.

Por causa da situação, os médicos dizem que querem deixar a cidade e procurar “outros municípios, onde seremos mais respeitados”. Cada médico recebe R$ 2,5 mil de auxílio moradia e R$ 500,00 de auxílio alimentação. Esses benefícios deveriam ter sido pagos no dia 1° deste mês.

“Com o atraso não temos dinheiro para pagar o aluguel e as outras despesas com energia elétrica, gás, condomínio e água”, contou um casal de médicos cubanos que pediu para não ser identificado. O casal disse que a Prefeitura também não quer pagar os auxílios individuais para cada um. “Eles querem que a gente receba somente um auxílio para cada casal, pensamos que isso não é legal”, afirmou o casal.

Nesta terça-feira, 15, a prefeitura, além de não pagar os médicos, anunciou que reduzirá o valor do auxílio-moradia. Os auxílios foram instituídos por lei municipal, de 30 de dezembro de 2013, que estabeleceu o valor máximo de até R$ 2,5 mil para auxílio-moradia e R$ 500 para auxílio-alimentação.

A prefeitura alega que, como o valor foi definido como teto, pode legalmente reduzi-lo e, por isso, pagará somente R$ 1,7 mil como auxílio-moradia a cada médico. No entanto, como já iniciou o programa pagando o teto, advogados dizem que ela não poderia reduzir os valores. Sobre o pagamento atrasado, a prefeitura informou, por meio de nota, que vai colocá-lo em dia a partir de sexta-feira, 18.

O secretário de Saúde de Araçatuba, José Carlos Teixeira, disse em nota que a redução do valor do auxílio foi estabelecida em acordo com os médicos, que de agora em diante não precisarão mais prestar contas dos seus gastos. Segundo Teixeira, a Secretaria de Saúde de Araçatuba teve cuidado de verificar em outros sete municípios a maneira como os auxílios são pagos e chegou à conclusão de que o valor de R$ 1,7 mil é suficiente para cobrir os gastos dos médicos.

No entanto, o presidente do diretório do PT de Araçatuba, Fernando Zahr, disse que a cobrança de comprovantes de gastos pela prefeitura é uma atitude constrangedora para o município e para seu partido. Segundo ele, os médicos cubanos foram bem recebidos e estão prestando um excelente serviço, mudando a forma de atendimento nas unidades de saúde do município. Desde maio, quando iniciaram os trabalhos, os médicos cubanos fizeram 6.574 consultas nas unidades da cidade.

Mesmo assim, a prefeitura também insiste em cobrar gastos que os médicos tiveram com alimentação, quando, por força de adaptação do programa, tiveram de passar os primeiros dias em hotéis da cidade até que conseguissem alugar imóveis ou pensões. Cada médico gastou cerca de R$ 300,00 a R$ 400,00 de alimentação, que agora é cobrado pela prefeitura. “Nós procuramos imóveis baratos, simples, para que pudéssemos fazer uma economia, mas parece que o município não compreendeu isso”, disse outro médico.

Decepcionados com a situação, alguns médicos disseram estão procurando o Ministério da Saúde para tentar se transferir de cidade. “A gente até gostou da cidade e temos de cumprir nossas tarefas, mas também precisamos ser respeitados”, disse um dos médicos.

TRE-PR recebe pedido de impugnação de Gleisi

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná recebeu pedidos de impugnação de 23 candidaturas, entre elas a de Gleisi Hoffmann (PT) e de seu vice, Haroldo Ferreira (PDT). Além de Gleisi e Ferreira, a justiça eleitoral recebeu ainda pedidos de impugnação do presidente do PT, deputado Enio Verri, de mais dois deputados estaduais candidatos à reeleição; de um vereador de Curitiba; e de ex-prefeitos de cidades importantes do estado. As informações são da Gazeta do Povo.

O pedido de impugnação de Gleisi partiu do PRP, partido do candidato ao governo Ogier Buchi. A alegação é de que a reunião para a escolha do vice da candidata petista ocorreu fora do prazo legal. O PDT indicou Haroldo Ferreira em 2 de julho. Na argumentação, o PRP afirma que essa escolha deveria ter ocorrido até 30 de junho, prazo final para a realização das convenções partidárias.

O TRE também recebeu pedidos de indeferimento das candidaturas dos deputados estaduais Bernardo Ribas Carli (PSDB) e Luiz Eduardo Cheida (PMDB). O vereador de Curitiba Professor Galdino (PSDB) também teve a candidatura impugnada. Também fazem parte da lista os ex-prefeitos José Baka Filho (PDT), de Paranaguá; e Hussein Bakri (PSC), de União da Vitória.

PSDB mobiliza redes sociais na campanha de Beto Richa

“As redes sociais serão decisivas e fundamentais nestas eleições”, diz Marcello Richa, coordenador das redes sociais do PSDB-PR

O coordenador de redes sociais do PSDB-PR, Marcello Richa, destacou na noite desta terça-feira (15), durante reunião do comitê de ativismo digital, que as redes sociais desempenham um papel cada vez mais decisivo nas eleições, pois permitem a comunicação como uma via de mão dupla e abrem espaço para o eleitor discutir ideias e falar diretamente com seu candidato.

“Sabemos da importância das redes sociais e queremos fazer uma campanha diferenciada, com ações inovadoras que contribuam para que possamos apresentar nossas propostas e trabalhar ideias propositivas por meio do diálogo com a população. Hoje a disseminação do uso da internet aumentou muito, especialmente devido à facilidade de acesso às novas tecnologias. Pessoas de todas as idades têm celular e se comunicam o tempo todo pelas redes sociais. Nas eleições não será diferente”, disse Marcello Richa.

Uma das principais iniciativas do PSDB-PR para esta eleição foi o fortalecimento de suas redes sociais por meio das reuniões de ativismo digital promovidas pelo Instituto Teotônio Vilela (ITV-PR), que formou grupos de discussão regionalizados por todo o estado. O objetivo foi criar canais de comunicação que irão atuar como uma extensão do comitê central e contribuir para levar informações sobre o trabalho desenvolvido pelo partido e debater políticas que atendam as demandas locais.

Outra novidade para a campanha de reeleição do governador Beto Richa é a implantação da Tenda Digital Beto 45, que será instalada na sede do PSDB-PR e servirá como um núcleo para os trabalhos nas redes sociais em todo o Paraná. No local serão desenvolvidos diversos projetos de comunicação e ações pontuais que visam estimular o debate e a participação da população na discussão de políticas públicas estaduais.

“A Tenda Digital será um espaço para a troca de ideias e ativismo político. Queremos que ela se torne uma referência para futuras campanhas e mais uma ferramenta para gerar um debate construtivo junto à população sobre políticas, propostas e projetos que buscam melhorar a qualidade de vida dos paranaenses”, disse Nani Marcos, gestora de ativismo digital da campanha de Beto Richa.

Gisele Teixeira –

Esta dica vem de uma página ótima chamada LECTURAS INDISPENSABLES.

Eles têm muitíssima literatura de boa qualidade disponível, além de muitas resenhas interessantes. Dá para ler 10 contos de Gabriel Garcia Marquez, 10 poemas de Bukowski,  12 contos de Edgar Allan Poe.

E por aí vai.

Reproduzo abaixo os links para Borges e Cortázar.

borges e cortazar100 Contos de Borges e Cortázar

Cuentos de Julio Cortázar

Bestiario (1951)

1. Casa tomada
2. Carta a una señorita en París
3. Lejana
4. Ómnibus
5. Cefalea
6. Circe
7. Las puertas del cielo
8. Bestiario

Final del juego (1956)

9. Continuidad de los parques
10. No se culpe a nadie
11. El río
12. Los venenos
13. La puerta condenada
14. Las ménades
15. El ídolo de las Cícladas
16. Una  flor amarilla
17. Sobremesa
18. La banda
19. Los amigos
20. El móvil
21. Torito
22. Relato con un fondo de agua
23. Después del almuerzo
24. Axolotl
25. La noche boca arriba
26. Final del juego

Las armas secretas (1959)

27. Cartas de mamá
28. Los buenos servicios
29. Las babas del diablo
30. El perseguidor
31. Las armas secretas

Todos los fuegos el fuego (1966)

32. La autopista del sur
33. La salud de los enfermos
34. Reunión
35. La señorita Cora
36. La isla al mediodía
37. Instrucciones para John Howell
38. Todos los fuegos el fuego
39. El otro cielo

Queremos tanto a Glenda (1980)
Cuentos de Jorge Luis Borges
Ficciones (1944)
El Aleph (1949)60. El inmortal
61. El muerto
62. Los teólogos
63. Historia del guerrero y la cautiva
64. Biografía de Tadeo Isidoro Cruz (1829-1874)
65. Emma Zunz
66. La casa de Asterión
67. La otra muerte
68. Deutsches Requiem
69. La busca de Averroes
70. El Zahir
71. La escritura del Dios
72. Abenjacán el Bojarí, muerto en su laberinto
73. Los dos reyes y los dos laberintos
74. La Espera
75. El hombre en el umbral
76. El AlephEl informe de Brodie (1970)77. La intrusa
78. El indigno
79. Historia de Rosendo Juárez
80. El encuentro
81. Juan Muraña
82. La señora mayor
83. El duelo
84. El otro duelo
85. Guayaquil
86. El evangelio según Marcos
87. El informe de BrodieEl libro de arena (1975)88. El otro
89. Ulrica
90. El Congreso
91. There are more things
92. La secta de los treinta
93. La noche de los dones
94. El espejo y la máscara
95. Undr
96. Utopía de un hombre que está cansado
97. El soborno
98. Avelino Arredondo
99. El disco
100. El libro de arena

 

Crédito: Aquimequedo – http://aquimequedo.com.br/2014/07/16/100-contos-de-borges-e-cortazar-para-ler-online/

MON recebe exposição de fotos de Frida Kahlo inédita no Brasil

unnamed

O Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, vai receber a partir de 17 de julho “Frida Kahlo – as suas fotografias”. A exposição reúne 240 fotos do acervo pessoal da artista e será exibida no Brasil exclusivamente no MON, a partir da próxima quinta-feira, às 20h, e segue até 2 de novembro.

São registros fotográficos da artista desde a infância, tiradas por dois fotógrafos profissionais de sua família – seu pai e seu avô materno. Há também momentos eternizados pela alemã Gisèle Freund e pelo húngaro Nickolas Muray, dois fotógrafos que conviveram com Frida por anos, além de fotografias tiradas pela própria Frida e por outras pessoas, imagens que a pintora gostava de guardar, olhar e se inspirar.

Para o curador da exposição, Pablo Ortiz Monasterio, “o acervo reflete de maneira clara os interesses que a pintora teve ao longo da sua tormentosa vida: a família, o seu fascínio pelo marido Diego Rivera e os seus outros amores, o corpo acidentado e a ciência médica, os amigos e alguns inimigos, a luta política e a arte, os índios e o passado pré-hispânico, tudo isso revestido da grande paixão que teve pelo México e pelos mexicanos”, conta.

A mostra é dividida em seis seções. A primeira retrata os pais da artista mexicana. Foram as numerosas imagens de seu pai, que fotografava a si mesmo em diferentes ocasiões, que deixaram uma marca permanente na pintora: o autorretrato.

A segunda seção destaca a Casa Azul, as primeiras poses de Frida para seu pai e as diversas reuniões que lá aconteceram. A Casa Azul é a residência que foi dos pais da pintora, no bairro de Cocoyacán, na Cidade do México, e que atualmente abriga o Museu Frida Kahlo, de onde vieram as obras desta exposição.

A terceira revela o lado íntimo da artista. Há imagens feitas, e estilizadas por ela, recortes fotográficos mutilados, dos quais Frida elimina ou elege alguns dos protagonistas. Os amores concentram-se na quarta seção. São fotografias de seus amigos mais próximos, familiares, alguns dos seus amantes e, principalmente, Diego Rivera.

A quinta seção traz um numeroso arquivo reunido por Frida, tanto pela qualidade visual, no caso das anônimas, como pelo seu valor, no caso das assinadas por grandes artistas. Nesta seção há desde cartões de visita do século 19 até retratos realizados por autores de destaque da história da fotografia e amigos pessoais. A sexta e última seção é dedicada às imagens relacionadas com as questões políticas.

A diretora cultural do Museu Oscar Niemeyer, Estela Sandrini, diz que é uma honra o MON ser o único espaço no Brasil a receber esta mostra. “O público poderá conferir de perto a intimidade de Frida, o olhar da artista sob outros olhares e sob seu próprio ponto de vista”.

FRIDA KAHLO – Magdalena Carmen Frida Kahlo y Calderon, conhecida como Frida Kahlo, nasceu em 06 de julho de 1907 em Coyoacan, no México.

Em 1925, aos 18, enquanto estudava medicina, sua vida mudou de forma trágica. Frida e o seu noivo Alejandro Gómez Arias estavam em um ônibus que chocou-se com um trem. Ela sofreu múltiplas fraturas, fez 35 cirurgias e ficou muito tempo presa em uma cama. Foi nessa época que ela começou a pintar freneticamente.

Frida sempre se autorretratou – suas angústias, suas vivências, seus medos e principalmente seu amor pelo marido, o pintor e muralista mexicano mais importante do século 20, Diego Rivera, com quem se casou em 1929, e que ajudou Frida a revelar-se como artista.

Em 1939 fez sua primeira exposição individual, na galeria de Julien Levy, em Nova York, e foi sucesso de crítica. Em seguida, seguiu para Paris. Lá conheceu Pablo Picasso, Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp, Paul Éluard e Max Ernst. O Museu do Louvre adquiriu um de seus autorretratos.

Em 1942, Frida e o marido começaram a dar aulas de arte em uma escola recém-aberta na Cidade do México. Após muitos altos e baixos, como três abortos e a relação amorosa rodeada por casos extraconjugais dos dois, seu estado de saúde piorou. Em 1950 os médicos diagnosticaram a amputação da perna e ela entrou em depressão. Pintou suas últimas obras, como ‘Natureza Morta (Viva a Vida)’.

Na madrugada de 13 de julho de 1954, Frida, com 47 anos, foi encontrada morta em seu leito. No diário, deixou as últimas palavras: ‘Espero alegre a minha partida – e espero não retornar nunca mais.’

A ARTE – As obras de Frida possuem uma estética muito próxima ao surrealismo, com influência da arte folclórica indígena mexicana, cultura asteca, tradição artística europeia, marxismo e movimentos artísticos de vanguarda. Destacou-se ainda pelo uso de cores fortes e vivas.

Entre suas principais obras estão “Autorretrato em vestido de veludo” (1926), “O ônibus” (1929), “Frida Kahlo e Diego Rivera” (1931), “Autorretrato com colar” (1933), “Autorretrato como tehuana” (1943), “Diego em meu pensamento” (1943) e “O marxismo dará saúde aos doentes” (1954). 

Governo quer intervir no futebol brasileiro, revela Aldo Rebelo

LE492783E297D4FE88142C3B91A2E6265

Ministro do Esporte afirma que mudanças na administração esportiva eram necessárias mesmo antes de derrota alarmante da seleção.

Dois dias depois da humilhação do Brasil na Copa, o governo anuncia que quer assumir parte das funções de legislar sobre o futebol, exige mudanças na estrutura do esporte e rejeita a ideia de que a CBF pode, sem participação estatal, administrar o setor.

A Fifa proíbe que governos promovam qualquer intervenção nas federações nacionais, sob a ameaça de expulsar o país das Copas. Mas Brasília estima que existe espaço para agir.
“Eu sempre defendi que o Estado não fosse excluído por completo do futebol”, disse Aldo Rebelo, ministro dos Esportes. “É uma intervenção indireta”. Segundo ele, existe áreas de “interesse público” e uma mudança pode alcançar até mesmo a CBF. “Isso se houver uma reforma na lei que de ao estado a atribuição de regular. A Lei Pelé tirou do estado qualquer tipo de poder de atribuição e poder de intervenção. Ela determinou a prática do esporte como algo privado, atribuição do mundo privado e isso só pode ser modificado se a legislação também for modificada”, declarou.
“Se depender de mim, não teríamos tirado o estado completamente dessa atribuição. Se depender de mim, parte dessa atribuição deve voltar”, defendeu Aldo Rebelo.

Ele garante que o governo não quer nomear cartolas. “Mas o Estado não pode ser excluído da competência de zelar pelo interesse público dentro do esporte”, insistiu. “Dirigentes passaram a administrar o futebol sem qualquer atuação do estado. Queremos retomar algum tipo de protagonismo no esporte. Não para indicar interventor. Mas para preservar o interesse nacional e o interesse publico”, disse. “O futebol brasileiro precisa de fato de mudanças. A derrota para a Alemanha evidencia essa necessidade”, afirmou o ministro, que chamou a goleada de “lição”.
“Precisamos adotar medidas para erradicar os motivos do vexame de nosso futebol”, insistiu. “Foi um acidente o que ocorreu. Mas precisamos examinar o motivo e a causa do
acidente. É uma marca profunda. A melhor reação é ver as causas mais duradouras daquele desastre. Precisamos extrair lições para que o Brasil reponha a seleção no status que ela deve ter. As mudanças são necessárias”, disse. Aldo classificou os 7 x 1 como “uma marca muito terrível para o futebol brasileiro.
O ministro pede uma melhoria na qualidade da gestão dos clubes, novas leis e até impedir a exportação de jovens craques. O ministro também pede uma organização no calendário e até mesmo na estrutura financeira dos times. “Deveríamos fazer esforço para elevar a qualidade da gestão dos clubes”, disse.
“Algumas dessas propostas estão sendo discutidas na legislação, que está tramitando no Congresso. Queremos que os clubes assumam responsabilidades em relação à gestão. Que tenhamos condições de apoiar financeiramente esses clubes.
São poucos que tem condições de recorrer à lei de incentivo ao esporte”, declarou. Aldo ainda quer tratar das finanças dos times. “Queremos que os clubes façam uma renegociação da dívida, mas com duplo compromisso, de pagar a divida passada e a futura. E sem atraso no pagamento de atletas”, defendeu. Outro ponto é o de impedir a saída de jovens craques para o exterior. “Precisamos discutir a legislação do ponto de vista de trabalho de menores. Somos exportadores de matéria prima e somos importadores de produto acabado”, afirmou.
“Precisamos mudar essa equação. A lei coloco super poder para os empresários”, atacou.

O ministro, porém, se recusou a falar de troca de técnicos ou de uma opção estrangeira para a CBF. “Não vou promover caças às bruxas”, disse. “Para todo grande problema aparece uma solução óbvia, fácil e errada. Precisamos ter a consciência de que a mudanças no futebol precisam ser feitas. Mas precisamos encontrar uma forma eficiente de promove-las. E que isso não se faça apenas pela dor da derrota”, completou.

O ministro sugeriu que Romário busque apoio entre os demais deputados para suas propostas e insiste que o governo mantém sua distância em relação ao Poder Legislativo.

Crédito: Estadão – http://esportes.estadao.com.br/noticias/futebol,copa-do-mundo,governo-quer-intervir-no-futebol-brasileiro-revela-aldo-rebelo,1526534

Cai o número de auxílios negados pela perícia do INSS

O número de benefícios por incapacidade negados pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) diminuiu 13% no Estado de SP nos primeiros cinco meses deste ano na comparação com o mesmo período de 2013.

Os dados incluem os auxílios doença e acidente, além da aposentadoria por invalidez.

De acordo com números da Previdência Social, neste ano, os peritos negaram um total de 181.661 pedidos de auxílio, entre janeiro e maio.

Nos primeiros cinco meses do ano passado, foram 209.128 negativas do órgão.

No período, a procura pelos benefícios por incapacidade também teve queda, mas bem menor, de 6%.

Crédito: Agora

GISELE TEIXEIRA – Por força deste destino, um tango argentino me vai bem melhor que um blues

Sei que muitos brasileiros vão torcer pela Alemanha, contra a Argentina, na final da Copa do Mundo no domingo. Não importa. Cada um tem as suas razões.

Mas também estou segura de que uma parte estará com eles, especialmente entre a gente do Sul. Há uma identificação muito forte dos gaúchos com uruguaios e argentinos.

Não sei se é pelo frio, pelo mate, pela nostalgia dos pampas, pela carne. Ou por tudo isso junto e algo mais.

O cantor Vitor Ramil TEM UMA TEORIA, que recomendo que a leiam.

Usei um pequeno parágrafo do texto dele na matéria que fiz, em conjunto com outros repórteres, para a revista Época, há duas semanas.

O texto se chama O BRASIL ABRAÇA OS LATINOS. Como é uma matéria a muitas mãos, nem tudo o que é meu está lá, embora uma grande parte sim. Para quem não assina nem compra a revista, deixo o texto completo 839MomentoEsportivoLatinosGISELE (4)

Há seis anos em Buenos Aires, não tenho nenhum motivo para torcer contra a Argentina.

Aqui, encontrei um lugar onde desfazer definitivamente a mala, encontrei um amor, novos amigos, afetos, abraços, talentos que eu não sabia que tinha, desafios. Amar dois países tem muitas vantagens. A maior delas é ser feliz duas vezes.

Vamos, chicos!

Sobe o som. Duas versões de dois grandes clássicos.

Crédito: Aquimequedo – http://aquimequedo.com.br/2014/07/10/argetina-final-copa-do-mundo/

Gisele Teixeira – Onde fazer yoga grátis em Buenos Aires

yoga-gratis

O grupo YOGA GRÁTIS EM BUENOS AIRES no Facebook avisa logo de cara:  “No a la gorra, no trueque, no a voluntad”.

Ou seja, é grátis mesmo! Não precisa contribuir.

“Porque sí, de onda, por amor, para trabajar el desapego”.

E são muitos os lugares onde se podem praticar, confiram a lista AQUI, dividida por bairro.

Para receber o endereço exato é preciso entrar no grupo, que é fechado. Tem mais de 16 mil membros.

Em geral, eles pedem para a gente se inscrever, porque algumas turmas têm numero limitado de vagas grátis. Mas em outras não, é só chegar.

Bora!

Crédito: Aquimequedo – http://aquimequedo.com.br/2014/07/09/onde-fazer-yoga-gratis-em-buenos-aires/

Condição de gramados de 7 estádios da Copa preocupa Fifa

Palcos onde desfilarão os principais jogadores do futebol mundial, os gramados de sete estádios da Copa preocupam a Fifa.

Avaliação interna da entidade é a de que alguns campos não estão nas condições ideais que a organização da Copa imaginava para a realização do torneio.

Problemas são apontados nos estádios de Curitiba, Cuiabá, Natal, Porto Alegre, Brasília e Manaus.

Editoria de Arte/Folhapress

O Maracanã também é citado como estádio em que o gramado possui alguns problemas, mas não está entre a maior preocupação.

A constatação é os gramados não vão apresentar falhas nas primeiras partidas desses estádios. Mas, a partir da segunda rodada, a qualidade deve cair, aumentando a chance de sair tufos do campo e, consequentemente, o risco de lesões.

As arenas cujos gramados são os melhores para a Copa na avaliação da Fifa são Itaquerão (SP), Fonte Nova (BA), Arena Pernambuco (PE), Mineirão (MG) e Castelão (CE).

A reclamação é que os estádios de Porto Alegre, Manaus, Natal e Cuiabá não usaram nos últimos meses equipamentos de iluminação artificial para os gramados –a recomendação da Fifa era que essa técnica fosse aplicada para o tratamento dos campos para a Copa.

As luzes, colocadas à noite, servem para ajudar na fotossíntese da grama ou de parte do gramado que não é muito iluminado por causa da cobertura das arenas.

A Arena da Baixada, em Curitiba, é outra que não está no melhor nível, segundo a Fifa, por falta da luz artificial. Os equipamentos demoraram para ser comprados e foram pouco utilizados.

Além disso, o campo da arena paranaense não seguiu à recomendação ideal da Fifa, que prevê o plantio da grama. Em Curitiba, o gramado foi instalado em placas.

Fato semelhante acontece em outra arena que preocupa a Fifa. O Mané Garrincha, em Brasília, também teve a grama colocada em blocos.

Em 2013, o estádio da capital federal foi alvo de críticas de Felipão e do secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke. O cartola também externou, em outubro do ano passado, preocupação com os campos dos estádios brasileiros.

Já o Maracanã, palco da final do Mundial, gera um pouco de apreensão pela quantidade de jogos que o estádio recebeu desde que houve a reinauguração.

A arena sediou cerca de 90 partidas entre o fim da Copa das Confederações, em 2013, e a entrega do estádio para a Copa do Mundo de 2014.

OUTRO LADO

Procuradas pela Folha, as administradoras dos estádios com relatos de problemas responderam às críticas feitas por fontes ligadas à Fifa.

O consórcio privado Maracanã S/A, que administra o estádio carioca, diz que a arena recebeu 90 jogos desde de 2013, mas que não recebe jogos desde o fim de maio e que esse tempo é suficiente para o gramado ter se recuperado.

A ComCopa (Coordenadoria de Comunicação para a Copa) de Brasília disse que os problemas vistos na Copa das Confederações foram superados, e que o gramado do Mané Garrincha passou por “testes científicos realizados pela FIFA que atestam a excelência do campo”.

A Secopa-MT (Secretaria Especial da Copa do Mato Grosso) diz que a iluminação artificial “foi instalada na tarde desta segunda-feira (9) na Arena Pantanal e estará funcionando normalmente a partir de terça-feira (10)”.

O Governo do Amazonas diz que não instalou a iluminação artificial no gramado da Arena da Amazônia “porque não há necessidade de tal recurso tendo que em vista a incidência de luz natural no campo”.

As empresas ou secretarias responsáveis pelos outros estádios citados não responderam ao contato da Folha.

Pedro Ladeira – 18.mai.2013/Folhapress
Gramado do estádio Mané Garrincha, em Brasília, é um dos que preocupam a Fifa
Gramado do estádio Mané Garrincha, em Brasília, é um dos que preocupam a Fifa

 

Crédito: Folha de S.Paulo

Ex-governador do Rio de Janeiro Marcello Alencar morre aos 88 anos

O ex-governador do Rio Marcello Alencar morreu na madrugada desta terça-feira (10), aos 88 anos, em seu apartamento na praia de São Conrado, na zona sul do Rio.

Ele era presidente de honra do PSDB e tinha a saúde debilitada por dois AVCs (acidentes vasculares cerebrais). A causa da morte, por volta das 4h15 desta terça, ainda não foi divulgada.

O velório será realizado na quarta-feira (11), no Palácio da Cidade, em Botafogo (zona sul), das 9h às 14h. Em seguida, o corpo será cremado no Cemitério do Caju, na zona norte.

O presidente do PSDB do Rio, deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha, disse à Folha que recebeu a notícia da morte de Alencar através da família do ex-governador. Rocha lembrou que o ex-parlamentar completaria 89 anos no dia 23 de agosto e lamentou a morte do aliado, que já estava afastado das articulações políticas por motivos de saúde.

“Estou profundamente triste. Ele foi um ícone para todos nos do PSDB e deixou um grande legado nas áreas política e administrativa”, afirmou.

Segundo o deputado, Alencar sofria com problemas de saúde desde que teve um Acidente Vascular Cerebral (AVC) há 12 anos. Pertenceu a dois partidos: Partido Democrático Trabalhista (PDT), do qual foi fundador, e Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), que ocupou a presidência durante anos.

“O Marcelo deixa um legado imenso, quer seja na política, quer seja na gestão administrativa. Ele foi um dos grandes políticos que se rebelaram contra a ditadura e lutaram para trazer a democracia de novo para o nosso país. Sempre dizia que a ditadura roubou dele 20 anos de vida política”, afirmou Luiz Paulo Rocha.

Pedro Carrilho – 15.mai.2010/Folhapress
O ex-governador do Rio Marcello Alencar
O ex-governador do Rio Marcello Alencar durante entrevista à Folha em sua casa, em 2010

Luiz Paulo lembrou a trajetória de Alencar, que era suplente de senador quando teve os direitos políticos cassados pela ditadura militar em 1969. Sem mandato, tornou-se advogado de presos do regime.

Após a redemocratização, Alencar voltou à política no PDT do ex-governador Leonel Brizola, também perseguido pelos militares. Foi prefeito do Rio por dois mandatos e se elegeu governador em 1994, já no PSDB.

“Como gestor, tirou a prefeitura da falência e modernizou o Estado com as primeiras concessões na área de transportes, com obras importantíssimas na área do metrô de Botafogo a Copacabana (zona sul), Triagem a Pavuna (zona norte). Ele deixou um legado muito forte”, acrescentou Luiz Paulo.

Alencar era um político irreverente, que costumava despachar de pés descalços e fazia piada com o apelido de “Velho Barreiro”, referência ao gosto pela bebida.

À semelhança de Brizola, rompeu com muitas de suas crias políticas, como o ex-governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), em meio a uma troca de acusações de corrupção. O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), também deixou o partido após se desentender com ele.

Em nota oficial de pesar, Paes afirmou que “o Rio perdeu hoje um de seus filhos mais ilustres” e disse que Alencar “foi uma referência e uma inspiração desde o início da minha vida pública”. O prefeito decretou luto oficial de três dias.

O governador do Estado, Luiz Fernando Pezão (PMDB), também emitiu nota oficial, na qual afirmou que “com seu característico bom humor, Marcello Alencar fez diferença na política brasileira”. Pezão afirmou ainda que “o saneamento das contas da Prefeitura do Rio foi uma das suas mais importantes contribuições para o município. Como governador, senador da República e prefeito, sempre lutou pela população fluminense.”

Mesmo doente, o ex-governador se manteve no comando da legenda no Rio até as eleições de 2010, quando articulou o lançamento de Fernando Gabeira (PV) ao governo do Estado. “Tenho que ter sempre a última palavra. Para ser obedecido ou desobedecido”, disse Alencar à Folha, há quatro anos.

MENSAGENS

“É mais um grande personagem da história da democracia brasileira que perdemos. Nossa despedida a um grande brasileiro: Marcello Alencar. O país perde um grande brasileiro! Faleceu nesta madrugada o ex-prefeito e ex-governador do Rio, Marcello Alencar”, disse em nota o PSDB-RJ.

*

“Marcello Alencar deixa seu legado político marcado na história do Rio de Janeiro. O saneamento das contas da Prefeitura do Rio foi uma das suas mais importantes contribuições para o município. Sempre lutou pela população fluminense, além de manter-se incansável na defesa dos direitos humanos durante o regime militar. Com seu característico bom humor, Marcello Alencar fez diferença na política brasileira.” Governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão.

*

“Em nome dos tucanos de todo o país, lamento profundamente a morte de Marcello Alencar. O Rio de Janeiro e o Brasil perdem um político sério, um homem honrado e um defensor dos direito humanos.” Aécio Neves, presidente do PSDB e pré-candidato à Presidência da República.

*

Em sua conta no Twitter, o deputado estadual Otavio Leite (PSDB) também prestou homenagem ao postar uma foto com o ex-governado com a mensagem: “Meu amigo, professor e minha referência política”.

*

“Com pesar, recebi a notícia de que o ex-governador do Rio Marcello Alencar faleceu.” Gilberto Kassab, ex-prefeito de São Paulo, via Twitter.

Dilma manda Receita protestar as dívidas de até R$ 50 mil

Mônica Bergamo, Folha de S. Paulo

A Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional decidiu autorizar o protesto extrajudicial de dívidas de até R$ 50 mil. Em geral, pessoas ou empresas inadimplentes entravam só na lista negra do governo federal, o Cadin (Cadastro Informativo de Créditos Não Quitados). Agora, podem ficar com o nome sujo na praça.

Dívidas desse valor nem sempre são executadas judicialmente porque o processo custa mais ao governo do que ele eventualmente poderia receber. O protesto seria uma forma de acelerar o pagamento sem a necessidade de ir aos tribunais. Os títulos (certidões de dívida ativa da União) serão encaminhados aos tabelionatos por meio de sistema eletrônico.

“É uma medida polêmica, um meio coercitivo de cobrar tributos na fase em que ainda podem ser contestados”, diz o advogado Luiz Gustavo Bichara. Segundo ele, iniciativas semelhantes adotadas por Estados já foram consideradas inconstitucionais.

Dona da melhor canja da Coloninha inaugura Kit Macarrão com receita inédita

16554399

Dona da melhor canja da Coloninha, Delair Chagas Camargo, 57 anos, tem uma mão para cozinha fora do comum. Ela é conhecida pelo Continente por meio de seu trabalho como mobilizadora comunitária, onde trabalha fazendo a ponte entre a população e a prefeitura em ações de assistência social.

Delair — mais conhecida por Dona Dela — é gaúcha, mas chegou em Florianópolis há 30 anos. Tem duas paixões: a cozinha e a Unidos da Coloninha. Foi na escola onde fez seu nome com a “Canja da Dela“, que acontecia sempre que tinha os pagodes no bairro. Também coordenou a ala das baianas vencedora de dois títulos seguidos (2011 e 2012) de carnaval.

Conversadeira e risonha, Dona Dela é daquele tipo de pessoa que ganha a simpatia de qualquer um com apenas alguns segundos de conversa. Articulada, trabalha com comunidades carentes da região continental de Florianópolis. Já ganhou até a medalha Joana de Gusmão — honraria concedida para pessoas que se destacam pelo trabalho voluntário.

Seu próximo projeto é ajudar a prefeitura a implantar o programa Empreendedor no Bairro, para ajudar aquelas pessoas que fazem algum artesanato ou produto dentro de casa mas ainda não tem a experiência para vender e ganhar dinheiro com suas habilidades.

Depois de tanto ajudar os outros, Dona Dela quer realizar um projeto pessoal logo que se aposentar. Pretende fazer uma graduação em gastronomia — não que precise, porque já tem fama de boa cozinheira.

Receita gostosa para inaugurar o kit

Não adianta repetir o quanto Dona Dela é uma excelente cozinheira se ela não mostrar isso. Para experimentar o Kit Macarrão, ela criou uma receita onde aproveitou para homenagear seu colega de trabalho comunitário Edsoul — que além de repórter e colunista da Hora de Santa Catarina, também foi presidente da Central Única de Favelas durante sete anos.

Sua receita foi batizada como “Macarrão cremoso picante à moda Ed Dela”. Foi a maneira perfeita de inaugurar o novo kit.

Enquanto a reportagem se deliciava a nova receita de Dona Dela, ela admirava o novo Kit Macarrão. Assim que tirou os pratos da caixa, não resistiu e exclamou:

— Que coisa mais linda!

Macarrão cremoso picante à moda Ed Dela

Ingredientes:
1 quilo de sobrecoxa de frango
1 colher de sopa de alho triturado
1 colher de chá de páprica picante
1 colher de chá de cominho com pimenta
3 colheres de molho shoyu
1 cebola ralada
sal a gosto
óleo suficiente para dourar o frango
1 pacote de macarrão espaguete

Para o molho:
1 xícara e meia de leite
5 colheres de farinha de trigo
2 colheres de margarina

Modo de preparo:

Frango:
– Corte as sobrecoxas em cubos e temperar com o alho e o shoyu
– Coloque óleo na panela e deixar o frango refogar até soltar a água
– Retire a água que formou na panela e reserve
– Rale a cebola e deixe refogar junto do frango
– acrescente a páprica

Molho:
– Junte os ingredientes do molho ao caldo que sobrou do frango refogado e cozinhe até ficar cremoso
– Coloque o frango junto ao creme

Macarrão:
– Cozinhe o espaguete al dente
– Coloque o molho sobre o macarrão, cubra com queijo ralado e leve ao forno
– Assim que o queijo derreter, sirva

O kit
O Kit Macarrão é composto por uma travessa e quatro pratos em cerâmica da marca catarinense Oxford, uma das melhores e mais respeitadas do mercado. Para colecionar, basta juntar os 60 selos que são publicados diariamente na capa da edição impressa da Hora de Santa Catarina. O primeiro selo sai no dia 13 de junho.

Crédito: Diário de Santa Catarina.

GISELE TEIXEIRA – Maradona estreia programa “De Zurda”, direto do Rio, na Copa

O ex-jogador DIEGO MARADONA e o jornalista VICTOR HUGO MORALESestreiam hoje, às 22h30 – horário da Argentina, o programa DE ZURDA, pelo canal Telesur.

Eles vão comentar a Copa do Mundo direto do Brasil, num junção que vai dar o que falar.

“De Zurda” significa “com a perna esquerda”, justo como batia Maradona, mas também “politicamente de esquerda”.

Do Brasil,  vocês podem acompanhar as novidades no FACEBOOK. 

A música do clip do programa é de Gustavo Santaolalla, outro que bate um bolão.

Está interpretada pelo próprio, junto com Gustavo Cordera, Julieta Venegas e Chocquibtown.

Quem quiser acompanhar de outros países, estes são os horários: VEN: 21:00, CUB: 21:30, BOL: 21:30, ARG: 22:30,ESP: 02:30, UR: 22:30

BAJADA DE LINEA

Victor Hugo Morales é dos jornalistas que mais defende o governo de Cristina Kirchner e tem um programa de televisão chamado BAJADA DE LINEA, todo os domingos.
O programa de ontem, que foi todo sobre o BRASIL, vocês podem ver AQUI na íntegra (e abaixo, a primeira parte)

 

 Crédito: Aquimequedo – http://aquimequedo.com.br/maradona-de-zurda-programa-copa/

 

SALÁRIOS DA SELEÇÃO

E a CBF ainda prometeu um prêmio de UM MILHAO E QUINHENTOS MIL para cada integrante da seleção!

Vamos torcer por eles! E se a seleção ganhar quem vai ficar de bola cheia é a presidANTA.

Salários da Seleção

 

SALÁRIOS DOS 23 ATLETAS CONVOCADOS PARA A SELEÇÃO BRASILEIRA-2014 :

GOLEIROS:

● Júlio César (R$ 530 mil/mês);
● Victor (R$ 235 mil/mês);
● Jefferson (R$ 250 mil/mês);

DEFESA:

● Thiago Silva (R$ 3,2 milhões/
mês);
● David Luiz (R$ 418 mil/mês);
● Dante (R$960 mil/mês);
● Henrique (R$ 100 mil/mês);
● Daniel Alves (R$ 600 mil/mês);
● Maicon (R$ 1,2 milhão/mês);
● Marcelo (R$ 830 mil/mês);
● Maxwell (R$ 1,08 milhão/mês);

MEIO-CAMPO:

● Fernandinho (R$ 1,2 milhão/
mês);
● Luiz Gustavo (R$ 660 mil/mês);
● Paulinho (R$ 1 milhão/mês);
● Hernanes (R$ 800 mil/mês);
● Ramires (R$ 656 mil/mês);
● Oscar (R$ 475 mil/mês);
● Willian (R$ 625 mil/mês);

ATAQUE:

● Hulk (R$ 2 milhões/mês);
● Bernard (R$ 1,1 milhão/mês);
● Fred (R$ 750 mil/mês);
● Jô (R$ 150 mil/mês);
● Neymar (R$ 5 milhões/mês).

E um monte de desempregados…chateados pq não conseguiram ingresso pra Copa… Quer saber de uma coisa?