Cuidados com os olhos no verão

O verão é a estação mais celebrada pelos brasileiros, que lotam as cidades de praia ou locais de veraneio, como clubes, rios, cachoeiras e lagos. Grande parte da população sabe a importância de usar protetor solar, mas muitos se esquecem de cuidar bem dos olhos para evitar problemas típicos dessa época do ano. 

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, as alergias e irritações oculares aumentam muito no verão. Entre as causas estão o excesso de cloro em piscinas, reações alérgicas a produtos como os protetores solares e ao excesso de exposição ao sol.

Veja agora como os olhos são afetados:

Sol

Os raios solares são do tipo ultravioleta, radiação eletromagnética muito prejudicial ao ser humano. Os raios ultravioletas do sol são divididos em UVA e UVB. Os raios UVA e UVB estão presentes durante o ano inteiro, não somente no verão, por isso a proteção deve ser feita em todas as estações. 

Os raios UVA penetram profundamente na pele e são os principais responsáveis pelo envelhecimento da pele, alergias e predispõem o organismo ao surgimento do câncer de pele. A radiação UVB é parcialmente absorvida pela camada atmosférica da terra e sua parte que chega à Terra é responsável pelos danos à saúde da pele e aos olhos. 

 

O que pode acontecer?

Quando a pessoa não protege os olhos dos agentes nocivos como sol, cloro, protetor solar, alguns problemas podem acontecer, como:

Pterígio: condição ocular em que há o crescimento de um tecido na conjuntiva (parte branca dos olhos) em direção à córnea. Causa irritação, coceira e vermelhidão nos olhos. A principal causa é a exposição à luz solar sem proteção. Necessita de cirurgia para ser retirado e pode voltar a aparecer. 

Catarata: pessoas que exageram na exposição solar, sem se proteger, podem ter catarata precocemente. A catarata causa perda progressiva da visão, que se torna embaçada e somente a cirurgia resolve o problema. 

Degeneração Macular Relacionada à Idade (DMRI): a região central da retina, a mácula, pode apresentar lesões irreversíveis geradas pela exposição aos raios ultravioletas. Não tem cura e pode levar à cegueira total. 

 

Doenças Infecciosas (piscinas, mar, lagos ou rios contaminados) 

Conjuntivite: infecção causada por vírus, bactérias ou por um processo alérgico. Calor, suor e tempo seco favorecem o aparecimento da doença. A viral é a mais agressiva e é altamente contagiosa. Nos três tipos de conjuntivite os olhos ficam vermelhos, entretanto cada um apresenta sintomas diferenciados. 

Na viral a pessoa tem a sensação de ter areia nos olhos, além de apresentar lacrimejamento. Dependendo da gravidade, pode afetar a córnea e atrapalhar a visão. É a forma mais demorada que dura em média, 14 dias. 

Já na conjuntivite bacteriana, os olhos ficam bastante inchados e secretam muco. A duração é menor, em torno de uma semana. Na alérgica a coceira é intensa e também há inchaço, porém os olhos não ficam tão vermelhos e há menos lacrimejamento. 

 

Ceratite: é a inflamação da córnea, que pode ser causada tanto pela exposição prolongada e excessiva à luz solar, quanto por água contaminada. Entre os principais sintomas estão sensibilidade à luz, visão borrada, sangue nas vistas, lacrimejamento e dor. 

Lentes de contato e água de piscina são ideais para a proliferação da ameba Acanthamoeba, que leva ao desenvolvimento de quadros de ceratite. Nunca nade com lentes de contato ou abra os olhos na água sem uma proteção, como óculos de natação. 

Crédito: Sautil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s