COLUNA DO RAFAEL

1. BIOGRAFIA LIVRE

A Lei das Biografias deverá ser objeto de votação na Câmara dos Deputados nesta semana. O projeto, que permite liberdade na publicação de biografias de personalidades públicas – corrigindo defeito de lógica jurídica do atual Código Civil – vem sendo alvo de polêmicas depois que alguns artistas defenderam o regime atual, que subordina a liberação de tais registros biográficos à vontade da personalidade biografada, em clara violação da liberdade com responsabilidade prescrita na Constituição.

2. LIBERDADE DE IMPRENSA

O 6º Fórum de Liberdade de Imprensa, que começa hoje em Brasília, deverá examinar o relatório anual coordenado pelo Comitê para a Proteção de Jornalistas sobre as violações ocorridas no Brasil. As ameaças ao trabalho jornalístico se intensificaram no país durante os protestos sociais do ano passado, tendo ocasionado inclusive a morte de um cinegrafista, Santiago Andrade (os réus estão sob julgamento). Ainda serão abordados temas sobre as eleições e assuntos da atualidade.

3. NA VENEZUELA

Na Venezuela, 190 profissionais – dos quais 140 jornalistas em exercício – foram vítimas de agressões no ano, informou o Colégio Nacional de Jornalistas. Os repórteres venezuelanos foram vitimados por vários tipos de constrangimento: agressões físicas, processos judiciais viciados (como acaba de reconhecer a Anistia Internacional), detenções arbitrárias e censura às redações. Numa emissora estatal passaram a ser aplicados “testes ideológicos” para manter ou promover os empregados, para avaliar até que ponto os trabalhadores estão comprometidos com o “socialismo do século 21” do atual governo daquele país da América Latina – conduta incompatível com um regime democrático.

4. FALTOU RESPONSABILIDADE

No litoral paulista uma mulher foi linchada por populares, após ser confundida com seqüestradora de crianças. O detalhe é que a foto da vítima foi publicada numa rede social, o “Alerta Guarujá”, desatando o clamor popular e o ato de selvageria. A polícia acusou o autor do blog, porque a suposta seqüestradora não tinha indícios de ser a autora do furto das crianças, estava portando na ocasião uma Bíblia com foto de seus próprios filhos e não teve chance de defesa.

O fato chama atenção para a responsabilidade dos “novos jornalistas”, que seduzidos pelas vantagens das redes sociais atuam postando informações, sem antes submetê-las ao crivo de uma edição de qualidade. o que mostra ser insubstituível a atuação do profissional de imprensa, conforme ensina o professor Carlo Alberto Di Franco (linha reiterada neste Boletim).

 

Rafael de Lala,  jornalista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s