Lista é dominada pelos paulistas: são 40% dos escolhidos

O Estado mais populoso do país é também o mais representado na seleção brasileira convocada para a Copa nesta quarta-feira. São Paulo tem nove dos 23 integrantes da lista divulgada por Luiz Felipe Scolari no Rio de Janeiro, incluindo cinco titulares: David Luiz, Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar e Neymar. O Sudeste, aliás, domina a relação dos escolhidos por Felipão: além dos nove paulistas, a delegação terá quatro atletas nascidos do Rio de Janeiro, dois de Minas Gerais e um do Espírito Santo, totalizando dezesseis convocados. O Nordeste é representado por quatro jogadores (os baianos Daniel Alves e Dante, o paraibano Hulk e o pernambucano Hernanes) e o Sul, por três convocados (Maicon, gaúcho, e Henrique e Fernandinho, paranaenses).

Leia também:
Felipão convoca seleção com Victor, Henrique e Hernanes
‘Vestibular’ do Brasil para Copa teve 5 candidatos por vaga

Para quem ficou de fora, há esperança: a lista de suplentes
Na Copa em casa, ídolos que fizeram a carreira no exterior
Chelsea é o clube com mais convocados: quatro jogadores

A presença de muitos atletas nascidos em municípios paulistas na seleção de Felipão era previsível, já que o Estado tem mais de 43 milhões de habitantes e abriga muitos dos principais clubes do país – o que aumenta a chance de que talentos locais sejam revelados. No São Paulo, por exemplo, passaram pelas categorias de base David Luiz, Hernanes e Oscar; no Corinthians surgiram Willian e Jô; o Santos fez aparecer o craque Neymar. Esse contingente paulista, porém, é ainda maior do que a fatia correspondente ao Estado dentro dos 200 milhões de habitantes do país: de acordo com as estimativas do IBGE em 2013, São Paulo concentra 21% da população brasileira, e a seleção tem quase 40% de paulistas.

Responda à pesquisa de VEJA: A Copa está chegando. O que você vai fazer?

Por coincidência, a convocação de um grupo dominado por atletas nascidos em São Paulo acontece num momento em que o poder na CBF está concentrado nas mãos de cartolas desse Estado – o presidente José Maria Marin, ex-governador e ex-jogador do São Paulo, e seu sucessor Marco Polo Del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol e cartola ligado ao Palmeiras, que estavam ao lado de Felipão na convocação desta quarta. Minas Gerais tem 10% da população e 8,6% dos convocados, enquanto o Rio tem 8% da população e 17% dos escolhidos para a Copa do Mundo. O técnico Felipão, gaúcho, convocou apenas um atleta de seu Estado de origem, o lateral Maicon, nascido em Novo Hamburgo.

Júlio César

JÚLIO CÉSAR Soares de Espíndola
Goleiro do Toronto FC
34 anos (Duque de Caxias-RJ, 3/9/1979)
Na seleção: 116 convocações, 78 jogos

Apesar das temporadas ruins no modesto Queens Park Rangers, da Inglaterra, o experiente Júlio César passou da condição de aposta de Felipão a titular absoluto da posição após a conquista da Copa das Confederações. Nem mesmo a opção por defender o Toronto FC, do Canadá, diminuiu o prestígio do goleiro com o treinador. Aos 34 anos, Júlio será um dos líderes da seleção e tentará se redimir da falha de quatro anos atrás, na eliminação contra a Holanda.

Jefferson

JEFFERSON de Oliveira Galvão
Goleiro do Botafogo
31 anos (São Vicente-SP, 2/1/1983)
Na seleção: 43 convocações, 9 jogos

Convocado para a seleção brasileira desde as categorias de base – em 2003, foi campeão mundial sub-20 contra a Espanha de Iniesta –, Jefferson disputará sua primeira Copa do Mundo e deverá ser o reserva imediato de Júlio César. As grandes atuações pelo Botafogo nas últimas temporadas e a personalidade firme mas discreta garantiram ao capitão alvinegro a simpatia de Felipão e um lugar na lista dos 23 da Copa.

Victor

VICTOR Leandro Bagy
Goleiro do Atlético Mineiro
31 anos (Santo Anastácio-SP, 21/1/1983)
Na seleção: 29 convocações, 6 jogos

Eternizado na história do Atlético-MG como herói da conquista da Libertadores de 2013, Victor manteve a regularidade nesta temporada e provou estar à altura de representar a seleção no Mundial. Com passagens por Paulista de Jundiaí e Grêmio, o goleiro de 31 anos chegou ao auge de sua carreira no clube mineiro e é candidato, inclusive, a assumir o posto de Júlio César depois do Mundial.

Daniel Alves

DANIEL ALVES da Silva
Lateral do Barcelona
31 anos (Juazeiro-BA, 6/5/1983)
Na seleção: 97 convocações, 74 jogos, 5 gols

O lateral-direito baiano viveu sua temporada mais irregular desde que chegou ao Barcelona, em 2008. Seu momento de maior destaque no ano foi o gesto inusitado de comer uma banana atirada por um torcedor racista em partida contra o Villarreal. Na seleção, no entanto, Daniel Alves acumula quatro anos de titularidade absoluta e pretende repetir no Mundial os êxitos da Copa das Confederações do ano passado.

Maicon

MAICON Douglas Sisenando
Lateral da Roma
32 anos (Novo Hamburgo-RS, 26/7/1981)
Na seleção: 89 convocações, 66 jogos, 6 gols

Titular de Dunga na última Copa, Maicon perdeu muito do vigor físico que o levou a ser um dos principais laterais de sua geração, mas segue sendo uma liderança positiva dentro do grupo. Aos 32 anos, o jogador revelado pelo Cruzeiro teve bons momentos com a Roma nesta temporada e tem a seu favor a experiência de ter superado o fracasso do Mundial de 2010. Fez bons amistosos com Felipão no segundo semestre de 2013.

Marcelo

MARCELO Vieira da Silva Júnior
Lateral do Real Madrid
25 anos (Rio de Janeiro-RJ, 12/5/1988)
Na seleção: 47 convocações, 30 jogos, 4 gols

Com talento e personalidade, Marcelo conseguiu superar a fama de rebelde e indisciplinado e se tornou uma unanimidade na lateral-esquerda da seleção. Apontado como sucessor de Roberto Carlos desde o início de carreira – tanto na equipe canarinho como no Real Madrid –, o atleta carioca precisará deixar para trás os recentes problemas físicos para brilhar em sua primeira Copa do Mundo.

Maxwell

MAXWELL Scherrer Cabelino Andrade
Lateral do Paris-Saint Germain
32 anos (Cachoeiro de Itapemirim-ES, 27/8/1981)
Na seleção: 8 convocações, 7 jogos

Cria do Cruzeiro, o lateral-esquerdo deixou o Brasil muito cedo e se tornou um nome bastante respeitado no futebol europeu – conquistou títulos importantes por equipes tradicionais como Ajax, Inter de Milão, Barcelona e PSG. Longe de ser um jogador espetacular, Maxwell se caracteriza por defender e apoiar de forma equilibrada, com segurança e boa constância. Aos 32 anos, não vive sua melhor fase no clube francês.

Thiago Silva

THIAGO Emiliano da SILVA
Zagueiro do Paris-Saint Germain
29 anos (Rio de Janeiro-RJ, 22/9/1984)
Na seleção: 63 convocações, 45 jogos, 2 gols

Apelidado de “Monstro” durante sua passagem pelo Fluminense, Thiago Silva conseguiu superar ainda mais as expectativas no futebol europeu e é hoje, indiscutivelmente, um dos melhores zagueiros do planeta. Elegante e ágil, Thiago, o principal líder do grupo, ostenta a faixa de capitão da seleção há dois anos e sonha em repetir Bellini, Mauro, Carlos Alberto, Dunga e Cafu, em 13 de junho, na final no Estádio do Maracanã.

David Luiz

DAVID LUIZ Moreira Marinho
Zagueiro do Chelsea
27 anos (Diadema-SP, 22/4/1987)
Na seleção: 48 convocações, 34 jogos

Tão respeitado e querido pelos torcedores quanto seu parceiro de zaga, David Luiz chama atenção não apenas por sua cabeleira, mas também por sua técnica e espírito aguerrido. Apontado por Felipão como um dos quatro “capitães” da equipe, ele também pode atuar como volante – como vem fazendo pelo Chelsea. Em 2013, foi protagonista de um lance inesquecível para os brasileiros, ao salvar um gol em cima da linha na final da Copa das Confederações contra a Espanha.

Dante

DANTE Bonfim Costa Santos
Zagueiro do Bayern de Munique
30 anos (Salvador-BA, 18/10/1983)
Na seleção: 18 convocações, 11 jogos, 2 gols

O zagueiro baiano poderia tranquilamente estar disputando a Copa do Mundo pela Alemanha, como fizeram outros brasileiros revelados ao mundo no país tricampeão mundial. De quase anônimo no modesto Borussia Möenchengladbach, Dante transformou-se no xerife da defesa campeã de tudo pelo Bayern de Munique em 2013 e, quase meteoricamente, se tornou nome indispensável na lista de Felipão. Aos 30 anos, ele disputará sua primeira Copa.

Henrique

HENRIQUE Adriano Buss
Zagueiro do Napoli
27 anos (Marechal Cândido Rondon-PR, 14/10/1986)
Na seleção: 10 convocações, 4 jogos

Homem de confiança de Luiz Felipe Scolari durante sua última passagem pelo Palmeiras, Henrique superou o insucesso no futebol europeu – contratado pelo Barcelona em 2008, ele passou por Racing Santander e Bayer Leverkusen antes de reencontrar seu bom futebol no clube alviverde. Assim como David Luiz, o atleta do Napoli pode jogar com grande desenvoltura tanto na zaga como no meio de campo (e ainda quebra o galho na lateral).

Luiz Gustavo

LUIZ GUSTAVO Dias
Volante do Wolfsburg
26 anos (Pindamonhangaba-SP, 23/7/1987)
Na seleção: 23 convocações, 17 jogos, 1 gol

O volante natural de Pindamonhangaba (SP) é outro que retribuiu à confiança dada por Felipão e se garantiu ainda na Copa das Confederações. Canhoto de muita pegada, Luiz Gustavo tem um estilo que agrada ao treinador e se complementa ao dos outros meias, o que deve garantir a ele uma vaga entre os onze titulares. Para manter o ritmo de jogo, preferiu trocar o poderoso Bayern de Munique, onde disputava posição, pelo modesto Wolfsburg nesta temporada.

Fernandinho

Fernando Luiz Roza, FERNANDINHO
Volante do Manchester City
29 anos (Londrina-PR, 4/5/1985)
Na seleção: 10 convocações, 6 jogos, 1 gol

Depois de passar oito anos praticamente escondido na Ucrânia, o volante revelado no Atlético-PR se firmou como titular do Manchester City e precisou de apenas 90 minutos para convencer Felipão. No último amistoso antes da convocação, Fernandinho foi bem na marcação e ainda marcou um belo gol na vitória sobre a África do Sul. Pela seleção brasileira sub-20, Fernandinho marcou o gol do título mundial de 2003.

Paulinho

José Paulo Bezerra Maciel Júnior, PAULINHO
Volante do Tottenham
25 anos (São Paulo-SP, 25/7/1988)
Na seleção: 30 convocações, 25 jogos, 5 gols

Fundamental nos títulos do Corinthians entre 2011 e 2013, Paulinho tornou-se peça-chave também no esquema de Felipão. Dedicado na marcação, ele se diferencia dos concorrentes pela velocidade e eficiência com que aparece na área adversária. Apesar do momento incerto no Tottenham, da Inglaterra – chegou a amargar a reserva em algumas ocasiões – deve ser um dos destaques do Brasil na Copa.

Ramires

RAMIRES dos Santos do Nascimento
Volante do Chelsea
27 anos (Barra do Piraí-RJ, 24/3/1987)
Na seleção: 50 convocações, 41 jogos, 4 gols

Um dos poucos remanescentes do grupo que disputou o último Mundial, Ramires se estranhou com Luiz Felipe Scolari no ano passado (por causa de um caso de indisciplina), mas se redimiu com o bom futebol apresentado no Chelsea e ganhou novas oportunidades. Sempre em extrema velocidade, o ex-cruzeirense pode desempenhar mais de uma função no meio-campo e tem a longa experiência no futebol europeu como um de seus trunfos.

Hernanes

Anderson HERNANES de Carvalho Viana Lima
Volante da Inter de Milão
28 anos (Recife-PE, 29/5/1985)
Na seleção: 30 convocações, 23 jogos, 2 gols

Dotado de técnica invejável e uma personalidade bastante peculiar, Hernanes deixou saudades em torcedores do São Paulo e da Lazio, mas jamais conseguiu se firmar como titular com a camisa da seleção. Por sua versatilidade e visão de jogo, “O Profeta” foi muito usado por Felipão para mexer na equipe no decorrer do jogo. Pode aparecer como boa opção de segundo tempo e, enfim, se consagrar como um dos nomes mais talentosos de sua geração.

Oscar

OSCAR dos Santos Emboaba Júnior
Meia do Chelsea
22 anos (Americana-SP, 9/9/1991)
Na seleção: 32 convocações, 29 jogos, 9 gols

Oscar não chega a ser um jogador vistoso como seus antecessores na seleção, mas, com eficiência e simplicidade, se consolidou como principal armador da equipe. Apesar da pouca idade, 22 anos, o franzino meia do Chelsea já adquiriu bagagem suficiente para ser titular do Brasil na Copa do Mundo e, apesar de seu estilo discreto, ser um dos destaques do Mundial. Antes do torneio, precisa recuperar a melhor forma física após um início de ano desgastante.

Neymar

NEYMAR da Silva Santos Júnior
Atacante do Barcelona
22 anos (Mogi das Cruzes-SP, 5/2/1992)
Na seleção: 48 convocações, 47 jogos, 30 gols

O atacante do Barcelona terá a imensa responsabilidade de comandar o Brasil em uma Copa do Mundo, em casa, e com apenas 22 anos. Em 2013, a revelação do Santos já provou estar no nível das grandes estrelas do planeta ao ser eleito o craque da Copa das Confederações. Desta vez, no entanto, a concorrência e a pressão serão bem maiores. Em seu primeiro ano na Europa, Neymar sofreu com lesões e críticas, mas ainda é a grande esperança da seleção.

Fred

Frederico Chaves Guedes, FRED
Atacante do Fluminense
30 anos (Teófilo Otoni-MG, 3/10/1983)
Na seleção: 44 convocações, 32 jogos, 16 gols

Sob o comando de Felipão, Fred provou que não há no futebol brasileiro um camisa 9 tão oportunista e eficiente. O atacante do Fluminense marcou contra todas as grandes seleções que enfrentou no ano passado, incluindo os dois gols contra a Espanha no Maracanã. Fred, no entanto, ainda convive com a desconfiança em torno de sua condição física e o peso de ocupar uma vaga que já foi de Ronaldo e Romário nas últimas conquistas do Brasil.

Hulk

Givanildo Vieira de Sousa, HULK
Atacante do Zenit
27 anos (Campina Grande-PB, 25/7/1986)
Na seleção: 37 convocações, 33 jogos, 8 gols

O paraíbano de 27 anos jamais caiu nas graças do torcedor brasileiro, mas agradou Felipão com seu estilo trombador, com chute potente e muita transpiração. Mesmo sem ter marcado um gol sequer na Copa das Confederações, Hulk garantiu um lugar no grupo, provavelmente, entre os titulares – algo praticamente inimaginável para alguém que há cinco anos era apenas mais um brasileiro tentando a sorte no futebol japonês (antes de brilhar no Porto, de Portugal).

Bernard

BERNARD Anicio Caldeira Duarte
Atacante do Shakhtar Donetsk
21 anos (Belo Horizonte-MG, 8/9/1992)
Na seleção: 18 convocações, 10 jogos, 1 gol

O ex-atacante do Atlético-MG conseguiu compensar sua baixa estatura (1,63 metro) com uma imensa “alegria nas pernas”, nas palavras de Felipão. Surpresa da lista da Copa das Confederações, o xodó do técnico agarrou sua chance e, mesmo estando escondido no futebol ucraniano, cavou seu lugar entre os 23. Aos 21 anos, ele será uma boa opção de velocidade pelas pontas, podendo substituir tanto Hulk como Neymar.

João Alves de Assis Silva, 
Atacante do Atlético Mineiro
27 anos (São Paulo-SP, 20/3/1987)
Na seleção: 20 convocações, 15 jogos, 5 gols

Depois de pregar algumas peças na vida de Jô, o destino sorriu para o atacante paulista em 2013. Decisivo na conquista da Libertadores pelo Atlético-MG, ele se aproveitou do corte de Leandro Damião e aproveitou as poucas chances que teve na Copa das Confederações. Alto e canhoto, o goleador oferece boas opções para os jogadores de lado de campo e é o reserva imediato de Fred na seleção de Felipão.

Willian

WILLIAN Borges da Silva
Atacante do Chelsea
25 anos (Ribeirão Pires-SP, 9/8/1988)
Na seleção: 5 convocações, 5 jogos, 1 gol

Revelado no Corinthians, Willian poderia estar esquecido no Anzhi – clube russo que comprou o seu passe por cerca de 95 milhões de reais, em 2013. No entanto, a repentina quebra da equipe, que teve de se desfazer de seus craques, mudou todo o destino do meia. Peça importante do Chelsea de José Mourinho, Willian precisou de poucos dribles e assistências com a camisa da seleção para convencer Felipão de que merece uma chance na Copa.

Crédito: Veja

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s